Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Aquele terrível mês de Maio

por Antero, em 26.05.13

"Quanto a Jorge Jesus, receio que o seu tempo acabou. Já não consegue motivar, as suas ideias parecem paradas no tempo (mais precisamente em Maio do ano passado), o discurso está recheado de tiros no pé, leva banhos tácticos de toda a gente" – escrito em Maio de 2011, após a eliminação da Liga Europa pelo SC Braga.

 

"Se, no verão passado, considerei a permanência de Jorge Jesus no Benfica um pequeno milagre tendo em conta a forma como foi planeada e desenvolvida a temporada anterior, temo que o seu reinado está com os dias contados. (...) Vítor Pereira será campeão. Não há maior atestado de incompetência a Jorge Jesus. Que faça as malas em Maio e obrigado por tudo e por nada." – escrito em Março de 2012, após a derrota na Luz com o FC Porto por 3-2 (o tal do golo do Maicon).

 

"Não houve mérito de quem ganhou, mas sim demérito de quem não soube ganhar. (...) Último apontamento para Jorge Jesus: enfim, vai lá à tua vida. Já não acrescentas nada, és teimoso, arrogante, achas-te infalível e deve haver jogadores que nem te podem ver à frente. (...) Se até um macaco amestrado como Vítor Pereira é campeão, tu, que és muito melhor, também o poderás ser. Não te podemos é ter como refém com medo que vás para um rival. Muito mal estará o Benfica se achar que não arranja melhor do que tu neste momento." – escrito no final de Abril de 2012, após o empate com o Rio Ave que confirmou o FC Porto como campeão.

 

Passei a maior parte da época receoso. O Benfica andava ali taco a taco com o FC Porto, não jogava especialmente bem, mas ia ganhando e ainda tinha a Liga Europa para se preocupar. Cada vitória somada era um alívio, era mais uma etapa ultrapassada na imensa corda bamba que sustentava uma equipa que a qualquer momento poderia desabar. Dois anos a levar com as asneiras de Jorge Jesus tornaram-me cauteloso. Até que o FC Porto começa a ceder e a ficar para trás, a Liga Europa vai bem encaminhada mesmo com poupanças e eu começo a sentir aquela pontinha de esperança típica do adepto de futebol a ganhar mais peso e intensidade. No entanto, foi só depois da dupla jornada contra o Sporting/Marítimo que comecei verdadeiramente a acreditar. Acreditar, não! Estava no papo: com 4 pontos de vantagem e uma visita ao Dragão, não havia nada a temer. A confirmação da final da Taça e o regresso à ribalta europeia depois de tantos anos era mel. Eu andava nas nuvens, mas queria mesmo era o céu.

 

Três semanas depois, é o que se sabe: equipa arrebentada, zero títulos, uma incrível falta de estofo nos momentos decisivos. Foi exatamente o mesmo filme com a agravante de ter sido ainda mais épico que das outras vezes. A exibição da final da Taça de Portugal foi inqualificável: contra um Vitória esforçado, mas fraquíssimo, tudo foi um frete. Até o golo caído do céu pareceu um frete. Começo a acreditar que fomos campeões em 2010 não graças a Jorge Jesus, mas apesar dele. Estou saturado disto. Chego a Maio e sinto-me como se estivesse preso num loop. Se daqui a um ano a situação for a mesma, faço apenas um link para este texto e sempre poupo umas linhas.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:15

Touché!

por Antero, em 10.11.08

Durante o jogo Benfica - Desportivo das Aves para a Taça de Portugal, resmunga o meu pai o seguinte:

- O Bynia é cá um caceteiro, só faz faltas.

E respondo eu:

- Não digas isso. O Bynia faz tudo menos falta!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:06

Sporting vence Taça de Portugal

por Antero, em 18.05.08

Para as tão proclamadas melhores equipas a actuar em Portugal, o espectáculo deixou muito a desejar. Como estes jogos a mim pouco ou nada me dizem, espero ao menos ver um encontro disputado, com golos (já nem peço que sejam bons golos) e, se possível, que o FC Porto perca, o que já me deixou um pouco mais consolado. Engraçado é que o Sporting, mesmo a praticar um futebol sofrível ao longo de toda a época, acabe por ter um ano positivo, na minha opinião. Pelo menos, acabou bem melhor que o Benfica, o que, para muitos deles, já é orgásmico!

 

Acima de tudo, foi um jogo de enganos: Jesualdo Ferreira enganou-se ao não convocar Bosingwa; Olegário Benquerença enganou-se ao não marcar 3 penalties a favor do FC Porto que não existiram; mas quem provocou o maior engano foi mesmo Rodrigo Tiuí, e por duas vezes, marcando os golos da partida. Já não bastasse o Apito Final, a ameaça de exclusão das competições europeias e a suspensão de Pinto da Costa, os Andrades ainda passam pela humilhação de perder para uma equipa fraquinha, fraquinha, que depende de um tosco para marcar dois golos. Inaceitável!

 

Agora mais a sério, o jogo foi mesmo pobre: o FC Porto foi uma sombra daquilo que se espera e o Sporting lá foi dominando o jogo quase por inteiro, se bem que, chegando à área adversária, lá vinha ao de cima a azelhice nos passes e nos remates. Mesmo a jogar com mais um nos últimos 15 minutos regulamentares, o Sporting mais parecia esperar pelo prolongamento, a ver se o FC Porto aparecia mais cansado. Que acabou por acontecer mais pela substituição de Raúl Meireles que, coitado, corria que se fartava mas ninguém o acompanhava. Na segunda parte do prolongamento, o Sporting marcou um golo inacreditável (um ressalto daqueles acontece uma vez na vida) e, mais tarde, em contra ataque, o enganador Tiuí marcou outro golo, este de gancheta e, saloio como é, lesiona-se, mas nada que impeça a festa verde e branca. Entretanto, nas bancadas começava a debandada da manada tripeira, com as claques a fazerem o seu papel junto às forças policiais. Por isso já sabem: nem ousem parar nas estações de serviço espalhadas pela A1!

 

E pronto, foi isso: um jogo fraco, com algumas picardias, com uma expulsão para o FC Porto (facto que deve acontecer tantas vezes como o alinhamento dos astros) do jogador João Paulo que, ao ver o cartão vermelho, ainda tentou fazer o árbitro mudar de ideias abraçando-o, mas o homem não foi na conversa, então toca a pôr em prática a escola portista: empurrões e confrontações ao árbitro antes de se decidir a sair do campo. Vitória justa para o Sporting e um imenso balão de ar para Paulo Bento e Soares Franco, que poderão continuar com as suas políticas de gestão de recursos que tanto os orgulha, isto até os adeptos se decidirem a revoltar outra vez, algo que deve estar agendado para Janeiro ou Fevereiro do próximo ano.

 

Hum... se calhar, nem tudo foi mau.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:38


Banha de Cobra

Alvará

Antero Eduardo Monteiro. 30 anos. Residente em Espinho, Aveiro, Portugal, Europa, Terra, Sistema Solar, Via Láctea. De momento está desempregado, mas já trabalhou como Técnico de Multimédia (seja lá o que isso for...) fazendo uso do grau de licenciado em Novas Tecnologias da Comunicação pela Universidade de Aveiro. Gosta de cinema, séries, comics, dormir, de chatear os outros e de ser pouco chateado. O presente estaminé serve para falar de tudo e de mais alguma coisa. Insultos positivos são bem-vindos. E, desde já, obrigado pela visita e volte sempre!

Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Armazém

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D