Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Sobre as Crepusculetes (e não só)...

por Antero, em 07.07.10

Nos últimos dias, tenho assistido confortavelmente à repercussão do meu texto sobreEclipseque, em poucos dias se tornou o mais comentado da história deste blog (para o qual contribuiu o destaque dado na página do SAPO). Extremaram-se posições, insultaram-me forte e feio, fui apoiado por muitos, houve respostas decentes e construtivas, outras nem tanto, o foco até desviou-se para outras coisas. Não apaguei um único comentário, estão lá todos: assim como acho que quem não deve não teme (não vou pedir desculpa por uma opinião perfeitamente legítima, ainda por cima num espaço que é meu), também não vou cortar a voz àqueles que me desejam insultar e não sabem construir uma argumentação minimamente válida. É para que todos vejam o (baixo) nível de certos seres que aproveitam o anonimato permitido pela Internet para chamarem de tudo e mais alguma coisa a alguém que - heresia! - tem uma opinião dissonante.

 

No entanto, pus-me a pensar e, pelos vistos, ainda é possível tirar uma reflexão intelectual de um produto execrável como a saga Twilight. O tipo de discussão tresloucada, histérica e sem fundamento despoletada pelo meu texto é algo que eu só vejo a acontecer com três tópicos: política, religião e futebol. Eu mesmo sofro deste mal e, quem me conhece, sabe da minha postura algo agressiva numa discussão cara a cara. Se na política ainda me remeto ao silêncio devido à minha gritante ignorância em certos temas, no futebol e, principalmente, na religião ataco ferozmente e defendo a minha opinião com unhas e dentes. Isto está longe de passar por má educação ou injuriar quem discorda de mim. O diálogo até pode ter um tom mais aceso, mas sempre dentro dos limites do bom senso e, regra geral, fica mal quem perde a razão. Isto aconteceu por um motivo tão mundano como um filme. Não me entendam mal; eu adoro LOST e já tive grandes discussões com pessoas que não gostavam da série, mas convenhamos que os três tópicos anteriores são bem mais relevantes na sociedade actual (então o futebol... e se for o Benfica, mais ainda!). O que até poderia dar um certo desconto às Crepusculetes que vieram aqui parar. Só há um problema.

 

O discurso delas foi escrito.

 

Foi pensado antes de materializado. Não saiu da boca para fora. Não foi algo que me foi dito em pessoa depois de eu ter "insultado" a saga do coração delas. É isso que me perturba: pelo facto de ter sido escrito supõe-se que se estava a pensar no que se escrevia. Deixaria de ser uma resposta a quente, na hora. Das duas, uma: ou elas realmente não reflectiram aquando a escrita (ou depois, até), o que as torna umas imbecis de primeira por não compreenderem que perderiam toda a razão que poderiam ter devido à sua (não) argumentação; ou, pior ainda, elas tinham bem noção do que estavam a escrever e dos impropérios que lançaram, sentindo-se vitoriosas por terem rachado num bloguista qualquer que maldisse de algo que elas idolatram.

 

Parecendo que não, isto deixa-me triste. É deprimente. Passou-se agora com o Twilight, mas já vi isto com Harry Potter, LOST, Heroes, FlashForward, José Saramago, animés e tantos outros produtos de entretenimento. E isto não é exclusivo de crianças acéfalas - ou melhor, é sim delas: quem toma uma atitude destas, a rigor, não cresceu nem tem maturidade. O tipo de pessoa que não sabe construir uma argumentação, parte para o ataque vil como forma de defesa de algo tão prosaico, que se mostra de um fanatismo extremista reprovável, só é digna de uma coisa: pena.

 

Por isso, caras fãs de Twilight, um conselho: cresçam. É doloroso, mas faz bem. Isto é só um filme, caraças! E bem medíocre, por sinal.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:19


Alvará

Antero Eduardo Monteiro. 30 anos. Residente em Espinho, Aveiro, Portugal, Europa, Terra, Sistema Solar, Via Láctea. De momento está desempregado, mas já trabalhou como Técnico de Multimédia (seja lá o que isso for...) fazendo uso do grau de licenciado em Novas Tecnologias da Comunicação pela Universidade de Aveiro. Gosta de cinema, séries, comics, dormir, de chatear os outros e de ser pouco chateado. O presente estaminé serve para falar de tudo e de mais alguma coisa. Insultos positivos são bem-vindos. E, desde já, obrigado pela visita e volte sempre!

Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Últimos vendidos


Armazém

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D