Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Humpf!

por Antero, em 01.01.10

O ano acabou de perfazer oito horas e aqui estou à frente do computador. Normalmente, estaria a chegar a casa, semi-embriagado, depois de uma noite de farra, mas desta vez foi diferente. Oacidentede anteontem deitou todas as meus planos por terra. Passei a meia-noite em casa, com os pais, acompanhado pelas minhas novas amigas (a Mu e a Leta), com a perna esquerda levantada e televisão ligada na TVI. Estava a dar a final de um programa qualquer com a Júlia e o Goucha (esqueci-me do nome) onde crianças cantavam (mal e porcamente) músicas conhecidas e habilitavam-se a um prémio de 25 mil euros. É bom, mas também não é assim tanto dinheiro. Uma passagem de ano na TVI é um espectáculo de brejeirice total e, se não é a melhor forma de começar o ano, pelo menos é coerente com a política do canal. Já não devia acompanhar um fim de ano pela TVI desde que o Zé Maria ganhou o Big Brother.

 

Engraçado lembrar-me do Zé Maria (onde pára essa criatura?), uma vez que essa foi o primeiro réveillon que saí com os meus amigos até o Sol nascer. E desde então tem sido assim: doze badaladas em casa e, 15 minutos depois, salta para a rua. Este ano seria diferente; havia casa alugada no meio do monte, bebida, comida, Party & Co., PES 2009 (que o 2010 está difícil de entrosar) e churrasco no dia seguinte. Acabou por ser diferente realmente. Há dois dias que estou praticamente na cama, sem sair de casa, a ver filmes, a dormir muito, a fumar pouco (menos mal), a tentar que o inchaço passe depresa para poder sair nem que seja para ir à beira-mar respirar ar puro. Embora o mais certo seria ser arrastado por uma onda ou levado pelas rajadas de vento.

 

Por isso, meus amigos, por muito má que tenha sido o vosso réveillon e não tenham grandes expectativas para 2010, lembrem-se que eu estou com o pé engessado, foi um circo tremendo para tomar banho, e estive na companhia de espumante rasca, dos berros da Júlia, das piadas do Goucha e da canalha sem jeito para cantorias. O pior fim de ano que eu podia imaginar. Se isto for um prenúncio para os próximos 12 meses, alguém me dê um soporífero de longa duração e salta-se já para 2011.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:09

Os melhores (e piores) filmes de 2009

por Antero, em 30.12.09

Mais um final de ano, mais uma listinha inútil para juntar à colecção. Desta feita com os melhores e os piores filmes de 2009, segundo a minha opinião. Um ano recheado de bastantes surpresas e algumas desilusões. Comecemos então pela nata do ano que agora termina:

 

1

O Wrestler

The Wrestler

Quando já todos davam Mickey Rourke como acabado, o actor dá a volta por cima e oferece uma interpretação visceral e comovente como Randy "The Ram" Robinson, um wrestler caído em desgraça que procura um nova oportunidade de redenção. Mas nem só de Rourke vive este filme: Marisa Tomei está fenomenal, Aronofsky filma com uma pujança ímpar e toda a trajectória do seu anti-herói é perfeitamente construída.

Crítica

 

2

Sacanas Sem Lei

Inglorious Basterds

Tarantino exagera nos planos, escreve diálogos prolixos e mete palha por tudo o que é cena. Mas é inegável que é um prazer ver os seus filmes. Então, se levarmos com um vilão como Hans Landa (tudo o que Bill queria ser e não foi), só ficamos a ganhar.

Crítica

 

3

Estado de Guerra

The Hurt Locker

Um dos favoritos nesta altura de prémios cinematográficos, o regresso de Kathryn Bigelow à sua melhor forma foi muito injustiçado a nível de público. Porém, é o melhor filme já feito sobre a Guerra do Iraque e um impressionante estudo das consequências da guerra no ser humano. Jeremy Renner está assombroso como o perito em explosivos viciado na adrenalina do combate.

 

4

Star Trek

Star Trek

A grande surpresa do ano. Em pézinhos de lã, J.J. Abrams chegou e fez uma diversão espectacular capaz de agradar ao fã mais devoto bem como ao público mais leigo, sem desrespeitar a obra original e captando toda a sua essência. Pode estar aqui o (re)início de uma grande saga.

Crítica

 

5

Revolutionary Road

Revolutionary Road

Injustiçado por público e crítica, o filme de Sam Mendes sobre um casal amordaçado pelas amarras socias dos 'perfeitos' anos 50 é um filme doloroso de assistir, onde cada diálogo é um dardo envenenado atirado a um casamento cadavérico. Kate Winslet e Leonado DiCaprio estão sublimes, mas quem se destaca é Michael Shannon como o John, um lunático que abraça a loucura para atingir a liberdade.

 

6

Deixa-me Entrar

Låt den rätte komma in / Let the Right One In

Esqueçam a saga Twilight. Esta é a verdadeira reinvenção da figura dos vampiros modernos e um belo conto sobre as agruras da adolescência.

 

7

Up - Altamente!

Up

O que seria de nós sem as animações da Pixar? Up continua o estado de graça da companhia, capaz de nos fazer rir e chorar nas mesmas doses (aqueles primeiros minutos são de cortar o coração) e sempre com o melhor que a tecnologia digital tem para oferecer.

Crítica

 

8

500 Dias com Summer

(500) Days of Summer

Comédias românticas há aos montes e, de certa forma, acabam por ser previsíveis. O que diferencia este género é mesmo a abordagem e 500 Dias com Summer consegue ser original, comovente e brutalmente honesto, mesmo jogando com as regras já conhecidas.

 

9

O Rapaz do Pijama às Riscas

The Boy in the Striped Pyjamas

O Holocausto já foi abordado de todas as formas e feitios, mas este surpreendente filme adopta praticamente a visão de uma criança para celebrar a inocência infantil por oposição ao negrume do mundo adulto. O final é chocante e permanece na memória durante muito, muito tempo.

 

10

Avatar

Avatar

Anos de antecipação e James Cameron não desiludiu: Avatar é uma experiência de tirar o fôlego e quase não há adjectivos para classificar o avanço tecnológico que Cameron e companhia atingiram. Um marco que será lembrado por anos e anos.

Crítica


Outros destaques de 2009, por ordem alfabética:

A Ressaca

A Troca

Bem-vindo à Zombieland

Distrito 9

Dúvida

És o Maior, Meu

Funny People

Homem no Arame

Ligações Perigosas

Maldito United

O Casamento de Rachel

O Lago Perfeito

Transiberiano

Watchmen - Os Guardiões

 

Quanto aos piores filmes de 2009, a selecção foi penosa: incluir tanta e tão diferentes bostas lançadas este ano não é tarefa fácil. E há de tudo: cinema tuga (e chunga), sequelas, filmes baseados em jogos de vídeo, filmes baseados em bonecos, comédias românticas fedorentas,... enfim, um fartote. Para quem gostar de merda, é prato cheio. Venham eles! (eu sei que a numeração está errada e que -1 é um valor mais alto que -10, mas não deixem que essa pintelhice desvirtue o tema deste post, está bem?)

 

-10

ABC da Sedução

The Ugly Truth

Heigl e Butler exibem química, mas o filme é tão desnecessariamente asneirento e tão pouco ofensivo na sua visão machista que se redime no fim que acaba por ser mais um no meio da multidão de comédias românticas que invadem as salas todos os anos.

 

-9

Lua Nova

New Moon

Um equívoco praticamente do início ao fim, onde não há romance, não há acção, não há nada. Apenas um grupo de adolescentes emo apaixonados e um bando de fãs histéricos do lado de cá. Deprimente.

Crítica

 

-8

Noivas em Guerra

Bride Wars

Credo, o que dizer deste filme? Poucas vezes vi um filme protagonizado por pessoas tão detestáveis, fúteis ao extremo e sem um pingo de discernimento. Mais um empurrão ladeira abaixo na carreira da antes adorável Kate Hudson, embora Anne Hathaway se salve por muito pouco (e não devido a esta... coisa).

 

-7

Dragonball: Evolução

Dragonball: Evolution

É... é tudo aquilo que se esperava. Só por isso conseguiu não estar no Top 5 desta lista.

Crítica

 

-6

Street Fighter: A Lenda de Chun-Li

Street Fighter: The Legend of Chun-Li

E quando pensamos que as adaptações de jogos de vídeo não podem descer tanto, eis que levamos na tromba com um filme pedestre, poupadinho na acção e com personagens a fazer de corpo presente. Recomendo para quem acha que não há tão mau como o primeiro filme.

 

-5

G.I. Joe: O Ataque dos Cobra

G.I. Joe: Rise of Cobra

Este filme só é melhor que o seguinte da lista porque é mais curto, logo a tortura é menor.

Crítica

 

-4

Transformers - Retaliação

Transformers - Revenge of the Fallen

À segunda só cai quem quer... e o filme foi um sucesso estrondoso! Celebração de tudo o que a indústria de Hollywood tem de mais podre, ofensivo ao extremo (eu tenho a certeza que, no meio de tanto corte e movimento de câmara, Bay meteu um letreiro a chamar-me de burro) e os excelentes efeitos especiais é quase como ver dinheiro a arder em pleno ecrã gigante.

Crítica

 

-3

Contrato

Contrato

Não! O cinema Português armado ao pingarelho e a querer imitar os filmes de Bond, Bourne e outros espiões? Seja. O vilão é um mafioso chamado Thanatos? Ugh!... mas vá, está bem. Mamas da Cláudia Vieira? Alinho! Não temos grande orçamento? Apostem na história. O argumento não faz muito sentido e tem uma reviravolta final trash? Ok, aceito isso tudo mas quero ver mais do que os peitos da Vieira.

 

Não vemos.

 

-2

The Spirit

The Spirit

Poucos deverão saber, mas Frank Miller escreveu os argumentos de Robocop 2 e 3, que ele jura a pés juntos terem sido desvirtuados pelos produtores. Depois disso retirou-se das lides cinematográficas, cheio de ódio a Hollywood. A vingança é um prato que se serve frio e eu diria que este The Spirit foi a forma que Miller arranjou para servir a sua. Eu quero acreditar nisto para não dizer que o homem está senil de vez, uma vez que este filme é inqualificável.

 

-1

Second Life

Second Life

Este filme é um crime, alguém devia ir preso por ele e deviam haver leis contra obras como Second Life, indubitavelmente a coisa mais abjecta de 2009 e um tremendo OVNI a aterrar nas salas portuguesas este ano. Alguém lembrou-se de brincar à David Lynch, contratou malta conhecida para chamar o público às salas, encheu tudo de sexo gratuito para chamar ainda mais público e esqueceram-se da coerência em casa. O protagonista morre no início e leva o argumento para o Além. Destaque para a participação de Malato que só larga o casaco para dizer as falas e, ainda mais incrível, Luís Figo a fazer de director de casting, com direito a uma vergonhosa table dance com resultados bem piores que um vermelho directo. E pensar que alguém achou que este era o caminho a seguir pelo cinema Português.

 

Outros destaques (pela negativa) de 2009, por ordem alfabética:

2012

À Noite, no Museu 2

Ano Um

As Minhas Adoráveis ex-Namoradas

Correio de Risco 3

Gamer - Jogo

Gran Torino

O Barco do Rock

O Corpo de Jennifer

O Solista

Olho Para o Negócio

Underworld - A Revolta

X-Men Origens: Wolverine

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:20

Os meus desejos para 2009

por Antero, em 02.01.09
  • Que o trabalho corra bem dentro do possível e, numa perspectiva mais utópica, que me satisfaça plenamente;
  • Deixar de fumar ou deixar de fumar tanto (por incrível que pareça já ando a fumar menos);
  • Ter oportunidade de, finalmente, visitar os Açores (é o que me falta conhecer de Portugal);
  • Que o Benfica seja campeão;
  • Que a crise não me afecte directamente e com força (família incluída);
  • Que LOST continue a ser a melhor série da actualidade nesta 5ª temporada;
  • E que todas as outras séries que acompanho tenham episódios decentes (pode ser, Heroes?)
  • Comprar um portátil que não dê tantos problemas;
  • Que seja um ano divertido, apesar das adversidades previstas;
  • Que o Benfica seja campeão!

Bom ano para todos!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 02:04


Alvará

Antero Eduardo Monteiro. 30 anos. Residente em Espinho, Aveiro, Portugal, Europa, Terra, Sistema Solar, Via Láctea. De momento está desempregado, mas já trabalhou como Técnico de Multimédia (seja lá o que isso for...) fazendo uso do grau de licenciado em Novas Tecnologias da Comunicação pela Universidade de Aveiro. Gosta de cinema, séries, comics, dormir, de chatear os outros e de ser pouco chateado. O presente estaminé serve para falar de tudo e de mais alguma coisa. Insultos positivos são bem-vindos. E, desde já, obrigado pela visita e volte sempre!

Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Armazém

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D