Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Portugal vai ao Mundial... e?

por Antero, em 19.11.09

A Selecção Nacional cumpriu os serviços mínimos e vai estar presente no Mundial 2010 a realizar na África do Sul. O país vibra de alegria, os patrocinadores já contam os milhões, a comunicação social prepara-se para andar anestesiada entre Maio e Junho, o torneio terá interesse acrescido, mas, para mim, esta equipa não convence. Hei-de bater nesta tecla até furar o computador: a equipa joga mal, as convocatórias de nódoas (Duda, Edinho), jogadores em baixo de forma (Paulo Ferreira, Deco) ou para aproveitar a ocasião (Nuno Assis por altura do jogo em Guimarães) são anedóticas, e todo o circo montado à volta da Selecção - e que vai piorar com o aproximar do Verão - é de revirar as tripas. Tremo só de pensar que vamos acompanhar os jogos de Portugal no histerismo da TVI.

 

Além do mais, acho que a equipa nunca superou - e com Queirós será difícil reverter isto - o trauma do jogo em casa com a Dinamarca, em que uma provável goleada tornou-se numa derrota inacreditável. Continuo a achar que ter Ricardo ou Eduardo na baliza é como trocar seis por meia dúzia, que Ronaldo não tem perfil para capitão e que a trupe que governa a Federação Portuguesa de Futebol só olha para o próprio umbigo. Creio que nunca acompanhei uma campanha da Selecção com tanto desinteresse. E se Queirós acha que Portugal tem condições para, no mínimo, chegar ao pódio é porque só pode estar noutra dimensão. Um banho de humildade não era mal pensado, não.

 

De qualquer forma, parabéns (muito) contidos para a equipa das quinas. Agora já posso acompanhar o Benfica sem interrupções e devaneios nacionalistas bacocos? Obrigado.

 

publicado às 02:43

Desseleccionando

por Antero, em 11.10.09

Foi com absoluto desinteresse que acompanhei o jogo da Selecção Nacional contra a sua congénere húngara. Ainda mais porque estava num jantar de aniversário onde, entre boa conversa e preciosidades como cheesecake, não valia a pena parar à frente do televisor. Porém, verdade seja dita, acho que nem que estivesse amordaçado ao sofá conseguiria acompanhar o jogo com o mínimo entusiasmo. Contando que Portugal chegue ao playoff, resta dizer que a fase de qualificação foi patética, tal como tinha sido a do Euro 2008. Irrita-me ver Ronaldo como capitão da equipa, chateia-me ver Liedson na Selecção (embora o jogador tenha todo o direito de lá estar; eu, pura e simplesmente, não gosto dele), as opções de Carlos Queirós(z) quase dão para rir. Falando no Carlinhos, é incrível ver como o homem se enterra quase compulsivamente: tanto criticou as escolhas de Scolari, o rendimento da equipa, a preparação dos jogos e, no final, acaba por fazer uma figurinha triste de submisso às ordens superiores, algo que Scolari, em maior ou menor grau, sempre foi conseguindo disfarçar com a sua postura de líder.

 

Não sou saudosista do Brasileiro. Acho que o seu tempo acabou no final do Mundial 2006. Ainda recordo o rescaldo dos quartos-de-final contra a Inglaterra eliminada nas grandes penalidades como se fosse ontem: tudo em festa, carros a buzinar, bandeiras ao vento e encontro uma amiga que me diz que estava lixada porque a Selecção havia feito um jogo paupérrimo (e contra 10 grande parte do tempo) e que não ia mais longe, como se veio a confirmar. Não pude deixar de concordar com ela. Depois veio a inenarrável qualificação para o Europeu 2008 e consequente campanha, acabando por confirmar o declínio notório da pujança da Selecção Nacional. E Scolari partiu (mas não sem antes assinar contrato com o Chelsea em pleno estágio na Suiça!).

 

Veio o Carlinhos. Pregava-se a renovação da equipa. E onde está ela? Entre tantas experiências erráticas, acabou por ter de recorrer à Velha Guarda e a seleccionados de ocasião, mas sem descurar a já saudosa calculadora que desde o início acompanhou a campanha da equipa. Mas o mais deprimente nisto tudo vai ser ver a Comunicação Social exaltar os feitos da equipa como se acabar em primeiro lugar neste grupo fosse uma tarefa hérculea. E, caso Portugal se apure mesmo, constatar o levantamento de um novo circo e feira de vaidades em torno da equipa, dando destaque a pilotos de aviões ou a empregadas de limpeza que, por acção divina, trocaram os lençóis da cama onde Ronaldo dormitou.

 

Não desejo a derrota da Selecção (tão pouco torço ferverosamente pelo seu sucesso), mas não consigo esconder aquele desejo sádico de ver Portugal falhar o apuramento: assistir à depressão de jornalistas medíocres como Nuno Luz ou Daniel Oliveira seria mel.

 

publicado às 16:43

Vamos?

por Antero, em 11.09.09

Recebi um email de um possível fornecedor Chinês para a minha empresa que terminava da seguinte forma:

 

" Vamos! Portugal! Vamos C.Ranaldo!!"

 

Soubessem eles da verdade nua e crua...

 

Ranaldo? Deve ser produto contrafeito made in China do nosso estimado Cristiano Ronaldo. Mas, da maneira que estão as coisas, eu diria que nós ficamos com a cópia e eles com o original...

 

publicado às 14:38

Harakiri

por Antero, em 27.08.09

Creio que seja o termo mais correcto para adjectivar a última convocatória de Carlos Queirós(z) para a Selecção Nacional, tendo em vista os jogos com a Hungria e com a Dinamarca. E não me refiro só a Liedson. Espero estar enganado, mas duvido.

 

Já agora, a melhor opinião que li sobre este assunto (convocatória do brasileiro) estáaqui. Reparem que é um blog lagarto. E dos bons, diga-se de passagem.

 

publicado às 00:03

Agora é mesmo oficial. Vibro muito mais com o Benfica do que com a Selecção Nacional. Andei eufórico durante o Euro 2004 (como toda a gente), mas aí foi mesmo o canto de cisne. Depois de uma qualificação calma, o Mundial 2006 trouxe a desconfiança: Portugal teve uma participação com muito mérito, mas as exibições não eram nada por aí além (aquele prolongamento com a Inglaterra reduzida a 10 foi inqualificável). Scolari devia ter saído aí, pela porta grande. Mas não, quiseram manter um já estafado seleccionador no comando e a fase de qualificação para o Euro 2008 foi toda feita na corda bamba. No entanto, Portugal apurou-se e isso bastou para esquecer os erros anteriores e lá voltou a histeria injustificada em torno dos "Heróis Nacionais". Como se sabe, a prestação foi o que foi - podem ver o meu acompanhamentoaqui- Scolari saiu pela porta pequena, Ricardo foi crucificado (e muito fez para isso) e lá chamaram o Professor (?) Carlos Queiroz para comandar a nau portuguesa.

 

Cinco jogos oficiais depois, 6 pontos amealhados e a qualificação para o Mundial 2010 em risco, podemos deduzir que um dos (poucos) pontos positivos que Queiroz trouxe foi dar ainda mais mérito a um desacreditado Scolari. Antes do Euro 2008, Queiroz soube apontar os problemas que a Selecção sofre há anos, mas já deu para perceber que diagnósticos todos sabem fazer, arranjar soluções é mais difícil. E depois de ver a equipa titular de ontem, uma completa salada russa onde um médio passa para ponta-de-lança, um central passa a trinco e outro central passa a lateral, não há muito com que vibrar. Nem mesmo ao vivo. E se o jogo não aquecia nem arrefecia, o ambiente nas bancadas era gélido. Nem o hino empolgou, embora os adeptos que me rodeavam, mais a sua pronúncia tripeira carregadíssima, ainda fossem dando para rir. Nada como uns labregos para animar a noite. O seu comportamente bipolar deu-me o impulso de lhes aconselhar um psiquiatra, tantos eram os jogadores que passavam de "lainda, lainda!" para "bai p'ra casa, num bales um cuaralho" num ápice.

 

Vi o jogo muito calmamente e nem  nos lances mais perigosos me levantei. Arrepiei-me com as "saídas" do Eduardo, mas nada de especial. Só perdi as estribeiras quando Hugo Almeida, em plena grande área, decide fazer um passe para um adversário sueco o que me fez berrar a plenos pulmões: "Hugo Almeida, és tão marreta! Quem disse que eras jogador, seu anormal?!". Mas foi só. O jogo acabou, viram-se lenços brancos e assobios, e a indiferença tomou conta de mim. Não se pode esperar muito de uma equipa que tem Ronaldo a capitão e sai-se com pérolas como: "se todos fizessem o que eu já fiz, seríamos campeões do Mundo". Pouco modesto o rapaz. E se não tive a vitória da Selecção (e, a este ponto, isso não me interessa), ao menos tive a oportunidade de estar no Estádio do Dragão, algo que muitos benfiquistas não se atrevem a fazer (o mesmo válido para muitos portistas). Ainda assim, não achei o estádio nada especial: muito gelado e parece inacabado com aqueles topos a descoberto. A Luz é muito mais bonita por dentro. Não que isso compense os 20 euros que queimei, mas ao menos não morro burro.

 

Balanço final: em cerca de uma dezena de idas ao futebol, tenho o brilhante saldo de apenas uma vitória e muitos empates e derrotas. Desta forma, vou investir num Dragon S(h)eat e não arredo pé das Antas na próxima época.

 

publicado às 14:35

Samba

por Antero, em 26.10.08

Já vibrei com Jorge Costa e Vítor Baía.

Já berrei por Figo após o regresso deste quando o Real Madrid lhe virou as costas (o que eu achei uma atitude indigna).

Já torci por Deco e Pepe.

Até já aplaudi (mentalmente) Bruno Alves e Raúl Meireles.

 

Mas se Liedson vai parar à Selecção Nacional é o fim da picada. Para mim acabou de vez! Porém, antes que a burocracia da nacionalização do jogador do Sporting acabe, acho que Carlos Queiroz trata de fazer com que a Selecção acabe para muitas mais pessoas.

 

PS: Vénia ao Leixões! Sem o melhor jogador que misteriosamente se lesionou antes do jogo e contra a equipa de arbitragem que fez de tudo para que o FC Porto não perdesse, os matosinhenses foram enormes! E assim se vê do que é feito o caldinho portista que hoje não resultou. O que não quer dizer que não resulte nos próximos tempos. Há que abrir os olhos...

 

publicado às 13:37

Até a barraca "Albânia"

por Antero, em 15.10.08

Conhecem aquela expressão "a equipa [inserir nome] joga pró Mundial"?

 

A Selecção Nacional é a antítese da mesma.

 

publicado às 23:58

3 parágrafos de futebol

por Antero, em 11.07.08

O senhor Blatter, presidente da FIFA, que deve acertar menos nas declarações do que eu a jogar à malha, veio defender Cristiano Ronaldo na sua possível transferência para o Real Madrid, acusando o Manchester United de manter um regime de escravidão por querer manter um jogador contra a sua vontade. Ora bem, se trabalhar contra a vontade é considerado escravidão, então esta não foi abolida. Ela está institucionalmente implementada. Para piorar a coisa, Ronaldo declarou que concorda com as declarações de tão ilustre (contém ironia) pessoa. É aquilo que se sabe: o tipo é muito bom dentro do campo; fora dele deixa muito a desejar (ou já se esqueceram do pirete na Luz?). E esta é a cara da “nossa” Selecção…

 

Falando na Selecção, parece que temos dois seleccionadores novos: o Carlos Queirós, adjunto do Manchester e o Carlos Queiroz, também adjunto do Manchester. Dois pelo preço de um, isto é que é saber negociar. Não haja dúvida que o Manchester United está a ser goleado pela Península Ibérica. Brincadeiras à parte, creio ser um boa opção para o lugar de Scolari. A ver vamos se o Carlinhos reverte a espiral de desconfiança que se instalou depois deste Europeu. Ricardo fora da baliza seria um bom começo.


Não é por nada, mas hoje em dia, a blogosfera consegue ser muito mais fiável que os jornais desportivos na divulgação de furos jornalísticos. Hoje li que Simão Sabrosa seria a grande surpresa anunciada por Pinto da Costa para o plantel do FC Porto. Sinceramente, tenho dúvidas. Simão já veio dizer que não se quer meter nestes assuntos e, além do mais, é um jogador caro. Se ainda fosse o Pongolle, acreditava. Já há uns dias, tinha lido que Aimar e Micolli também iam rumar ao Dragão e, pelos vistos, o negócio com Carlos Martins atrasou porque o FC Porto meteu-se ao barulho. Sabendo a fibra moral que aquela gente não tem, não me admirava nada que assim fosse. Lixar o Benfica é o que está a dar. E que tal contratar o Benfica para o departamento de prospecção? Evitavam-se estas novelas e ainda caíam no goto da maioria do país. Sempre era um ponto a favor. Por oposição às centenas de pontos contra…

 

publicado às 21:04

Euro 2008: quartos-de-final

por Antero, em 23.06.08

Dos primeiros classificados da fase de grupos, apenas a Espanha fez valer o seu estatuto. Num jogo indicado a quem sofre de insónias, Espanha e Itália ofereceram um espectáculo pobre, de nada valendo o facto de ser o jogo mais aguardado desta fase. Passou a Espanha nas grandes penalidades, mas se passassem os italianos o efeito era o mesmo.

 

Dá a impressão que os primeiros qualificados dos grupos adormeceram depois disso, sendo Portugal e Holanda os exemplos máximos deste pensamento. Se de Portugal muito já se falou e reclamou da desilusão que foi, da Holanda o que se pode dizer é que foi mesmo pena. Eles bem tentaram, mas apanharam pela frente uma Rússia preparada para tudo e que não lhes deu descanso. Resultado: 1-3 e o melhor jogo do Europeu, até ver.

 

Do lote de cima, não faz parte a Croácia, que foi eliminada também nas grandes penalidades pela sensação Turquia. Os croatas bem mereciam passar e estiveram quase, mas os turcos vão buscar forças sabe-se lá onde, e conseguiram empatar a meio minuto do prolongamento, quando a Croácia havia marcado nem dois minutos antes. Foi um jogo fraco, que só valeu mesmo pela emoção do prolongamento. A Turquia bem pode festejar a sua sorte, porque não deverão fazer muito mais: entre lesionados e castigados, só têm 12 ou 13 jogadores disponíveis para o jogo com a Alemanha.

 

Assim, teremos um Alemanha-Turquia e um Rússia-Espanha nas semi-finais. A Turquia não deverá ter grandes chances, sendo assim aposto na Alemanha na final. No outro jogo temos a dúvida: qual será a Rússia a aparecer? Aquela que deixou o futebol espectáculo holandês de rastos? Ou aquela Selecção macia que apanhou 4-1 dos espanhóis na fase de grupos? De qualquer das formas, aposto num Alemanha-Espanha na final, se bem que, como este Europeu tem provado, os cavalos mais certos são os primeiros a saltar fora.

 

publicado às 19:15

Portugal 2 Alemanha 3

por Antero, em 20.06.08

Ia fazer umas considerações sobre o jogo propriamente dito, mas este meu colega já disse tudo. Até no apoio à Holanda daqui em diante estamos de acordo. Só tenho a acrescentar que sempre considerei Paulo Ferreira um dos grandes bluffs dos últimos anos. No futuro, só Miguel Veloso lhe poderá tirar a vaga. Não estou triste porque nunca estive confiante na vitória sobre a Alemanha. E Ricardo lá tinha que dar o arzinho de sua graça (ele ia massajar as costas do alemão ou quê?).

 

Muita gente pode culpar Scolari por ter poupado jogadores contra a Suíça. Acho que não é por aí. Creio que errou na escolha do onze titular. A ideia de que em equipa que ganha não se mexe, hoje não resultou. Em certos momentos, a Alemanha deu um banho de bola a Portugal e a defesa tremia como varas verdes. E o que os jornais hoje vão chamar de ineficácia, eu chamo de azelhice. Não se admite o desperdício de tanta bola parada e de tantos remates de fora da área.

 

Porém, o mais escandaloso foi a falta de empenho da maioria dos jogadores. Excesso de confiança? Balneário instável? Deficiente estudo da equipa alemã? Esta última hipótese nem devia ser posta em causa, porque a equipa alemã é basicamente a mesma que há dois anos ganhou 3-1 a Portugal no Mundial 2006. Mas, meus amigos, não se poupem na tristeza. Para ver se a Galp desce o preço dos combustíveis em 10 cêntimos (no mínimo) para alegrar a nação. Já que o suposto melhor do mundo não conseguiu...

 

A questão que se impõe agora é: haverá vida para lá de Scolari?

 

publicado às 00:41


Alvará

Antero Eduardo Monteiro. 30 anos. Residente em Espinho, Aveiro, Portugal, Europa, Terra, Sistema Solar, Via Láctea. De momento está desempregado, mas já trabalhou como Técnico de Multimédia (seja lá o que isso for...) fazendo uso do grau de licenciado em Novas Tecnologias da Comunicação pela Universidade de Aveiro. Gosta de cinema, séries, comics, dormir, de chatear os outros e de ser pouco chateado. O presente estaminé serve para falar de tudo e de mais alguma coisa. Insultos positivos são bem-vindos. E, desde já, obrigado pela visita e volte sempre!

Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Armazém

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D