Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Fringe: o herdeiro

por Antero, em 14.02.11

ALERTA DE SPOILER! Este post contém informações relevantes, pelo que é aconselhável que só leiam caso estejam a par da exibição norte-americana.

 


Fringe 3x13: Immortality

Confirma-se aquilo que meio mundo suspeitava: Altivia está grávida de Peter. Neste regresso ao sempre instigante Lado B, Fringe oferece-nos um episódio cujo tema central não é propriamente a imortalidade do tipo viver para sempre, mas sim o legado que deixamos para gerações futuras e que gravará o nosso nome na História. Tal como Armand Silva queria curar milhões através da morte de seres humanos usados como cobaias, Walternate deseja descobrir os efeitos de Cortexiphan, mas não a qualquer preço (usar crianças nos experimentos), revelando uma postura profissional que, em tempos, faltou a William Bell e a Walter. Assim, o episódio discute temas como os limites da ciência, até onde estamos dispostos a ir em nome do "progresso" e, aliado aos sacrifícios que Altivia teve de fazer pela sua missão, o preço que pagamos por certas acções que consideramos benignas. Em suma: uma questão de Ética.

 

Seria muito fácil para nós (e para Fringe) encarar os indivíduos do "outro lado" como os vilões, aqueles que querem destruir o "nosso" mundo e que deverão perecer no futuro. Só que, para crédito dos argumentistas, eles possuem motivações próprias e válidas que nos levam a identificar com eles e a não olhá-los como "falsos". Desta forma, ver a vivaz Altivia assustada com a sua gravidez e com o que isso implicará na guerra dos Mundos ou Walternate disposto a usar o seu neto como arma após ter recusado o uso de crianças nos seus experimentos serve para tornar as personagens (e, consequentemente, a série) mais complexas e tridimensionais. Aparte os mundos paralelos, os Observadores, os casos bizarros e toda a (óptima) mitologia que rodeia Fringe, há algo mais a ser celebrado: as suas personagens.

 

Que isto seja resultado de um produto de ficção científica é algo que os detractores do género terão de comer e calar.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:55



Alvará

Antero Eduardo Monteiro. 30 anos. Residente em Espinho, Aveiro, Portugal, Europa, Terra, Sistema Solar, Via Láctea. De momento está desempregado, mas já trabalhou como Técnico de Multimédia (seja lá o que isso for...) fazendo uso do grau de licenciado em Novas Tecnologias da Comunicação pela Universidade de Aveiro. Gosta de cinema, séries, comics, dormir, de chatear os outros e de ser pouco chateado. O presente estaminé serve para falar de tudo e de mais alguma coisa. Insultos positivos são bem-vindos. E, desde já, obrigado pela visita e volte sempre!

Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Armazém

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D