Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Coisas fofas e belas

por Antero, em 10.01.10

 

Quem diria que o Spike Jonze dos surreais e metalinguísticos Queres Ser John Malkovich? e Inadaptado seria o homem do leme na adaptação cinematográfica de um conto infantil? Pois o certo é que o realizador dos dois excelentes filmes anteriores faz um bom trabalho em O Sítio das Coisas Selvagens, um filme que dirá pouco a crianças, mas que tocará bem fundo a qualquer adulto, uma vez que o tema que percorre toda a película acontece a todos nós: o assumir de responsabilidades, a maturação do indivíduo e descobrirmos o nosso lugar na sociedade que, sem as lentes inocentes da infância, revela-se bem menos perfeita do que pensávamos.

 

Max é uma criança solitária e irrequieta que, após uma discussão com a mãe, foge de casa e vai parar a uma ilha onde encontra uma comunidade de criaturas conhecidas como as Coisas Selvagens. É acolhido por elas, nomeado "rei" e decidem contruir um forte onde possam habitar. Vividas através de técnicas como a animatrónica, efeitos de computador e actores num fato desenvolvido para o efeito, as Coisas Selvagens são o grande destaque da produção: na contramão das recentes tendências de utilizar fartos efeitos especiais para atingir um maior realismo, é o ar mais artesanal nos movimentos e comportamentos das criaturas que se torna o grande charme do filme. Isso não significa que elas não consigam ser bastante expressivas, mesmo presas a uma técnica que, convenhamos, é rudimentar.

 

Assim, acaba por ser um feito espectacular que o espectador se identifique e se comove com as Coisas Selvagens: exemplos de estereótipos da sociedade (há o impulsivo, o agressivo, o discriminado, o solitário ,...) elas são como uma prova de fogo ao carácter de Max que, repentinamente, se torna líder delas. Então, O Sítio das Coisas Selvagens torna-se numa alegoria ao crescimento e à perda da inocência característica das crianças, uma vez que vários obstáculos aparecerem levando a conflito de personalidades e Jonze retrata este processo natural com bastante sensibilidade, salientando a pureza das atitudes de Max e as consequências cinzentas que daí podem surgir.

 

Com um final comovente e conscientemente triste, O Sítio das Coisas Selvagens apenas peca em ocultar certas informações que poderiam fornecer mais complexidade às criaturas: porque elas são tão infelizes? Quais são as experiências de vida delas? Max seria o primeiro a "infiltrar-se" na comunidade? O que levou a certas rupturas no seio delas? De qualquer forma, estas falhas não afectam o resultado final e o filme, mesmo sem estar ao nível de obras anteriores, leva a desejar que Jonze não fique mais sete anos sem realizar uma longa-metragem. O Mundo precisa da sua imaginação.

 

Qualidade da banha: 15/20

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:29



Alvará

Antero Eduardo Monteiro. 30 anos. Residente em Espinho, Aveiro, Portugal, Europa, Terra, Sistema Solar, Via Láctea. De momento está desempregado, mas já trabalhou como Técnico de Multimédia (seja lá o que isso for...) fazendo uso do grau de licenciado em Novas Tecnologias da Comunicação pela Universidade de Aveiro. Gosta de cinema, séries, comics, dormir, de chatear os outros e de ser pouco chateado. O presente estaminé serve para falar de tudo e de mais alguma coisa. Insultos positivos são bem-vindos. E, desde já, obrigado pela visita e volte sempre!

Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Armazém

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D