Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Agora é mesmo oficial. Vibro muito mais com o Benfica do que com a Selecção Nacional. Andei eufórico durante o Euro 2004 (como toda a gente), mas aí foi mesmo o canto de cisne. Depois de uma qualificação calma, o Mundial 2006 trouxe a desconfiança: Portugal teve uma participação com muito mérito, mas as exibições não eram nada por aí além (aquele prolongamento com a Inglaterra reduzida a 10 foi inqualificável). Scolari devia ter saído aí, pela porta grande. Mas não, quiseram manter um já estafado seleccionador no comando e a fase de qualificação para o Euro 2008 foi toda feita na corda bamba. No entanto, Portugal apurou-se e isso bastou para esquecer os erros anteriores e lá voltou a histeria injustificada em torno dos "Heróis Nacionais". Como se sabe, a prestação foi o que foi - podem ver o meu acompanhamentoaqui- Scolari saiu pela porta pequena, Ricardo foi crucificado (e muito fez para isso) e lá chamaram o Professor (?) Carlos Queiroz para comandar a nau portuguesa.

 

Cinco jogos oficiais depois, 6 pontos amealhados e a qualificação para o Mundial 2010 em risco, podemos deduzir que um dos (poucos) pontos positivos que Queiroz trouxe foi dar ainda mais mérito a um desacreditado Scolari. Antes do Euro 2008, Queiroz soube apontar os problemas que a Selecção sofre há anos, mas já deu para perceber que diagnósticos todos sabem fazer, arranjar soluções é mais difícil. E depois de ver a equipa titular de ontem, uma completa salada russa onde um médio passa para ponta-de-lança, um central passa a trinco e outro central passa a lateral, não há muito com que vibrar. Nem mesmo ao vivo. E se o jogo não aquecia nem arrefecia, o ambiente nas bancadas era gélido. Nem o hino empolgou, embora os adeptos que me rodeavam, mais a sua pronúncia tripeira carregadíssima, ainda fossem dando para rir. Nada como uns labregos para animar a noite. O seu comportamente bipolar deu-me o impulso de lhes aconselhar um psiquiatra, tantos eram os jogadores que passavam de "lainda, lainda!" para "bai p'ra casa, num bales um cuaralho" num ápice.

 

Vi o jogo muito calmamente e nem  nos lances mais perigosos me levantei. Arrepiei-me com as "saídas" do Eduardo, mas nada de especial. Só perdi as estribeiras quando Hugo Almeida, em plena grande área, decide fazer um passe para um adversário sueco o que me fez berrar a plenos pulmões: "Hugo Almeida, és tão marreta! Quem disse que eras jogador, seu anormal?!". Mas foi só. O jogo acabou, viram-se lenços brancos e assobios, e a indiferença tomou conta de mim. Não se pode esperar muito de uma equipa que tem Ronaldo a capitão e sai-se com pérolas como: "se todos fizessem o que eu já fiz, seríamos campeões do Mundo". Pouco modesto o rapaz. E se não tive a vitória da Selecção (e, a este ponto, isso não me interessa), ao menos tive a oportunidade de estar no Estádio do Dragão, algo que muitos benfiquistas não se atrevem a fazer (o mesmo válido para muitos portistas). Ainda assim, não achei o estádio nada especial: muito gelado e parece inacabado com aqueles topos a descoberto. A Luz é muito mais bonita por dentro. Não que isso compense os 20 euros que queimei, mas ao menos não morro burro.

 

Balanço final: em cerca de uma dezena de idas ao futebol, tenho o brilhante saldo de apenas uma vitória e muitos empates e derrotas. Desta forma, vou investir num Dragon S(h)eat e não arredo pé das Antas na próxima época.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:35



Alvará

Antero Eduardo Monteiro. 30 anos. Residente em Espinho, Aveiro, Portugal, Europa, Terra, Sistema Solar, Via Láctea. De momento está desempregado, mas já trabalhou como Técnico de Multimédia (seja lá o que isso for...) fazendo uso do grau de licenciado em Novas Tecnologias da Comunicação pela Universidade de Aveiro. Gosta de cinema, séries, comics, dormir, de chatear os outros e de ser pouco chateado. O presente estaminé serve para falar de tudo e de mais alguma coisa. Insultos positivos são bem-vindos. E, desde já, obrigado pela visita e volte sempre!

Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Armazém

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D