Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




ALERTA DE SPOILER! Este post contém informações relevantes, pelo que é aconselhável que só leiam caso estejam a par da exibição norte-americana.

 

 

Desperate Housewives 5x13: The Best Thing That Ever Could Have Happened

O centésimo episódio trouxe uma história fechada e sem relação com o percurso da quinta temporada; no fundo, foi praticamente uma homenagem a toda a série com a participação activa de Mary Alice e as aparições dos saudosos Rex Van de Kamp, Martha Huber e Xiao Mei. Estes foram, simultaneamente, os pontos fortes e fracos do episódio: não gosto quando não avançam com a narrativa e este episódio não trouxe nada de novo, mas como tem a desculpa da homenagem por trás de si até que nem foi mau de todo. Eli Scruggs era o “faz-tudo” de Wisteria Lane até que, no último dia de trabalho, acaba por falecer. Com a comoção geral, as housewives lembram momentos marcantes de Eli nas suas vidas e foi divertido perceber que ele foi o primeiro impulsionador do livro da Bree bem como ajudou Edie a superar as suas “necessidades”. Ainda assim a melhor parte foi novamente a de Gaby: voltando ao tempo em que era rica, fútil e nariz empinado, toda a sequência do jogo de poker foi hilariante, principalmente quando ela diz que só queria pegar numa arma e suicidar-se ao mesmo tempo que dá uma sapatada amigável em Mary Alice. A parte da Susan foi mais do mesmo, com Eli a ajudá-la nas suas crises amorosas, mas o que me irritou foi mesmo a de Lynette: que mãe faria aquilo durante o próprio trabalho de parto?! Já para não falar que ela já tinha os 3 rapazes (se fosse durante a gravidez dos gémeos ainda se compreendia) e toda aquela sequência do trabalho versus a gravidez suou como uma desculpa forçada para Felicity Huffman brilhar o que, de certa forma, atenuou o vexame da cena. Episódio redondinho, sem grandes novidades.

7 potes de banha

 

House 5x12: Painless

O caso da semana trouxe um pai de família que sofre de dor crónica há mais de 3 anos, numa pequena alusão à constante situação de House, embora este se vá aguentando com os banquetes de Vicodins. Devido ao sofrimento que causava à esposa e ao filho, ele tenta cometer suicídio e acaba por ir parar ao hospital para ser tratado por House. Num episódio estranho e um pouco desequilibrado, tivemos óptimas cenas como Cuddy a tentar aliar o papel de mãe aos seus compromissos profissionais e a cena em que o miúdo simula dores para ajudar o pai a cometer suicídio novamente. Por outro lado, o tempo perdido com a Treze (mais uma vez...) a sua indecisão com Foreman e o cansaço cada vez mais evidente de Hugh Laurie com a personagem e com a série (as birrinhas com Cuddy estão cada vez mais repetitivas) mancharam e muito o episódio. No final, uma boa e má notícia: Cuddy propõe a Cameron passar-lhe algumas funções do hospital, o que poderá levar a uma maior participação da segunda e com grandes picardias com House. Por outro lado, poderá significar uma menor participação de Lisa Edelstein como Cuddy, o que é uma pena pois a actriz é excelente e a química com House está melhor desenvolvida do que a amizade com Wilson.

7 potes de banha

 

How I Met Your Mother 5x13: Three Days of Snow

Barney e Ted são uns imaturos por natureza (mais o primeiro que o segundo); Marshall e Lily são o típico casal “cola”; Robin é racional e pouco romântica. Seguindo estes estereótipos estabelecidos nos últimos 4 anos, a série oferece um excelente episódio em que três histórias distintas são contadas e, no final, temos direito a uma cambalhota narrativa surpreendente. Num dos maiores nevões de sempre, Barney e Ted ficam com o bar McLaren’s por conta deles e decidem impressionar umas miúdas que trazem mais problemas que vantagens, enquanto Marshall decide não cumprir a tradição de ir buscar Lily ao aeroporto, mas logo muda de ideias e obriga Robin a ir com ele (e depois tem de aturar uma discussão em que é acusada de ser fria e robótica nas relações). No avião, Lily também está decidida em não cumprir a tradição de não levar um pack de 6 cervejas para Marshall, mas também muda de ideias e é auxiliada pelo motorista Ranjit. Com estas três histórias, How I Met Your Mother dá-nos um episódio surpreendente e hilariante, em que Barney brilha mais uma vez nas suas teorias malucas (aquela do bingo foi demais). A série prova que, neste novo ano, quer regressar ao patamar das grandes comédias televisivas actuais.

9 potes de banha

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:41



Alvará

Antero Eduardo Monteiro. 30 anos. Residente em Espinho, Aveiro, Portugal, Europa, Terra, Sistema Solar, Via Láctea. De momento está desempregado, mas já trabalhou como Técnico de Multimédia (seja lá o que isso for...) fazendo uso do grau de licenciado em Novas Tecnologias da Comunicação pela Universidade de Aveiro. Gosta de cinema, séries, comics, dormir, de chatear os outros e de ser pouco chateado. O presente estaminé serve para falar de tudo e de mais alguma coisa. Insultos positivos são bem-vindos. E, desde já, obrigado pela visita e volte sempre!

Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Armazém

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D