Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




A erva passou a ser de segunda

por Antero, em 07.10.08

 

Há pouco tempo acabei de ver a quarta temporada de Weeds. Estou atónito: como é possível que a série tenha decaído tanto de qualidade? A temporada é muito fraca, pouca coisa parece funcionar bem e muitas situações parecem deslocadas, vindas de outra série qualquer e acabam por cair ali de pára-quedas. O tão aplaudido (até por mim) final da temporada passada tornou-se um erro de proporções drásticas, uma vez que a reviravolta operada na série (que não pretendo revelar, não se preocupem) só a piorou. Nota-se que Weeds ainda não estava no ponto para mudar de ares, ainda havia tanto para explorar. Agora temos episódios aborrecidos, personagens ridículas (onde antes havia o absurdo), as novas adições não tem a força e o carisma das que saíram, story-lines que pura e simplesmente não se encaixam umas nas outras (o que acontece a Celia no último episódio é risível demais para ser verdade) e temos Nancy, que antes parecia um íman de problemas, mas que agora parece que tem gosto em meter-se em sarilhos. Não que eu queira fazer já o funeral a Weeds (que terá mais duas temporadas), mas o rumo dos acontecimentos e a avaliar pelo gancho deixado no último episódio, não vejo outra solução a não ser esperar o pior. Uma pena.

 

Por outro lado, ando deliciado com esta série:

 

 

Já tinha visto uns fogachos de Damages (Sem Escrúpulos cá no burgo) que serviram para atestar as prestações fabulosas de Glenn Close e da revelação Rose Byrne, mas agora é mesmo sério. Autêntico jogo de gato e rato, o espectador é levado para os bastidores de um caso de tribunal mediático onde tudo serve para ganhar cada batalha de ambos os lados, onde nada é o que parece e todos tentam manipular os que os rodeiam. Depois, há aquelas pequenas sequências passadas no futuro que cortam a narrativa do presente e fazem com que o espectador não perca um detalhe do que lhe é mostrado, uma vez que o círculo se vai fechando a cada episódio. Pela vossa saúdinha, não a percam!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:50



Alvará

Antero Eduardo Monteiro. 30 anos. Residente em Espinho, Aveiro, Portugal, Europa, Terra, Sistema Solar, Via Láctea. De momento está desempregado, mas já trabalhou como Técnico de Multimédia (seja lá o que isso for...) fazendo uso do grau de licenciado em Novas Tecnologias da Comunicação pela Universidade de Aveiro. Gosta de cinema, séries, comics, dormir, de chatear os outros e de ser pouco chateado. O presente estaminé serve para falar de tudo e de mais alguma coisa. Insultos positivos são bem-vindos. E, desde já, obrigado pela visita e volte sempre!

Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Armazém

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D