Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Fringe: encurralados

por Antero, em 13.02.12

ALERTA DE SPOILER! Este post contém informações relevantes, pelo que é aconselhável que só leiam caso estejam a par da exibição norte-americana.

 

 

Fringe 4x12: Welcome to Westfield

Um episódio que faria Fox Mulder e Dana Scully incharem de orgulho. Se dizem que Fringe é influenciado por Ficheiros Secretos (e eu digo), nada melhor do que ver a série abraçar essa influência de maneira inventiva e – por que não? – carinhosa. Não se passou grande coisa, mas quando acabou fiquei a pensar "o quê?! Já?!".

 

História isolada que se conecta a mitologia da série de forma superficial, este capítulo traz Olivia, Peter e Walter "presos" numa pequena localidade que experiencia uma espécie de fusão com a sua contraparte do outro Lado. Os habitantes unificam em si aspetos distintos de ambos os universos, como memórias, traços físicos e até o dobro do ADN - o que, invariavelmente, os levará à morte bem como a cidade inteira entra em colapso visto que, diz-nos a Física, dois objetos não podem ocupar o mesmo espaço ao mesmo tempo. Bem que o episódio nos tentou convencer que Olivia sofria do mesmo mal da população, embora aquele sonho inicial com Peter tenha sido de estranhar.

E assim foi: aquela Olivia começou, aparentemente, a partilhar memórias da nossa Olivia, aquela que Peter conhece e ama. Partilhar ou manifestar? É que dizem por aí que isto do Lado C e D é uma treta, que estamos a acompanhar os usuais A e B alterados. Que Peter não tem de voltar para lado nenhum; ele está onde deveria estar! Por enquanto, sigo o meu instinto e vou pela opinião que tenho defendido nas últimas semanas: Peter surgiu, sabe-se lá como ou porquê, num universo distinto daquele que víramos por três anos e tem de voltar para casa. Há muita coisa para ser respondida e explicada, é verdade, mas ainda sigo por esta via, apesar da aproximação de Walter a Peter (o cientista ultrapassou a sua agorafobia), que pode resultar de uma ligação intíma e natural entre o pai e o seu filho, e estas "recaídas" de Olivia que, por outro lado, podem ser fruto das injeções ministradas por Nina ou, quem sabe, do sentimento que a une/unia a Peter. Ou então tudo isto ao mesmo tempo.

 

publicado às 20:58


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Alvará

Antero Eduardo Monteiro. 30 anos. Residente em Espinho, Aveiro, Portugal, Europa, Terra, Sistema Solar, Via Láctea. De momento está desempregado, mas já trabalhou como Técnico de Multimédia (seja lá o que isso for...) fazendo uso do grau de licenciado em Novas Tecnologias da Comunicação pela Universidade de Aveiro. Gosta de cinema, séries, comics, dormir, de chatear os outros e de ser pouco chateado. O presente estaminé serve para falar de tudo e de mais alguma coisa. Insultos positivos são bem-vindos. E, desde já, obrigado pela visita e volte sempre!

Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Armazém

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D