Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




LOST: enfim... o fim!

por Antero, em 24.05.10

ALERTA DE SPOILER! Este post contém informações relevantes, pelo que é aconselhável que só leiam caso estejam a par da exibição norte-americana.

 

 

LOST 6x17 e 6x18: The End

Um final poético, poderoso e, acima de tudo, corajoso. Vai desagradar imensa gente, principalmente aqueles que estão à espera de respostas. Eu fiquei plenamente satisfeito. Não houve respostas, mas houve emoções a rodo. Chorei litros. Foi perfeito.

 

A esta altura nunca pensei que a série pudesse voltar a surpreender. Pensava eu que o último episódio seria dedicado ao desenrolar da guerra entre o recém-nomeado guardião da lha, Jack, e o Falso Locke ao mesmo tempo que acompanharíamos uma espécie de fusão entre ambas as realidades. A primeira parte foi cumprida: Jack e Locke decidem tirar a prova dos nove e comprovar qual dos dois teria razão e auxiliam Desmond na caverna da luz - onde o conceito darolhafoi levado à letra. Desmond pensaria que estaria, de certa forma, a activar a realidade paralela, mas o máximo que conseguiu foi despoletar um evento que levaria ao afundamento da Ilha. No entanto, esgotada a fonte, esgota-se também a imortalidade do Homem de Negro e este fica à mercê de Jack. Enquanto isso, Lapidus é encotrado vivo e providenciará a fuga tanto almejada por Sawyer, Miles, Kate, Claire e Richard, ao passo que Hurley fica para trás e sucede a Jack como líder e com Ben como seu braço direito.

 

Por outro lado, na realidade paralela, a emoção só aumentava a cada personagem que "despertava" e vários foram os momentos simbólicos a remeter a eventos passados: o parto de Aaron, a ecografia de Sun, a recuperação de Locke. Mas as lágrimas começaram a ficar mais pesadas nos últimos dez minutos com a epifania de Jack, ainda por cima com a incrível banda sonora de Michael Giacchino que é de uma consistência e emotividade memoráveis. Longe do misticismo ou da ciência, o final de LOST recorreu à religião no seu sentido mais lato (basta ver que na Igreja onde todos se encontram há vários símbolos de diferentes religiões, numa mensagem que se quer universal). Eu pensei que a realidade paralela poderia significar que o Homem de Negro havia vencido ou que a mesma era um prémio de Jacob pelos sacrifícios feitos, mas nada me preparou para o turbilhão de emoções que foi o desvendar da verdadeira natureza da mesma.

 

Impossível de ser racionalmente explicada, a realidade paralela acaba por ser uma segunda vivência (reencarnação?) daquelas personagens que se permitem reencontrar após terem partilhado uma parcela decisiva das suas existências. Purgatório? Talvez sim, até porque algumas personagens não "estão preparadas" (Ana Lucia) e outras decidem ficar para trás (Ben) como se ainda tivessem muito que fazer para redimir os seus pecados. Eu, que não sou nada dado a estas coisas, achei uma solução fascinante e que encerra a trajectória das personagens de forma elegante e poética, com a morte de Jack no local onde tudo começou, mas agora com o sentido de dever cumprido.

 

 

 

 

Obviamente que quem procurava que tudo se resolvesse agora deve andar bem frustrado. No fundo, o essencial foi respondido ou ficou nas entrelinhas. Apenas não ficamos a saber exactamente como as coisas são (a luz ou o Monstro, por exemplo), mas sabemos o seu propósito e seria impossível explicar plausivelmente vários mistérios da Ilha, mas a sua natureza ficou esclarecida. Claro que houve situações mal desenvolvidas - o facto de Walt ser especial - ou respostas muito menos elaboradas que as teorias que pipocavam na Internet. No entanto, os produtores de LOST sempre afirmaram que esta era uma série de personagem, sobre humanidade e o sentido da vida. Os mistérios maquilhavam os questionamentos que a série levantava, a evolução das suas personagens e o conflito que germinava entre elas. Para mim, é mais instigante perceber como Sawyer passou de pessoa conflituosa e vingativa para um sujeito afável, ou acompanhar a jornada emocional de Jack até chegar a crente ou assistir à contradição do caminho de Locke, cuja fé na Ilha o levou à morte, do que saber porque os Números aparecem em todo o lado (uma pergunta parva quanto a mim) ou saber mais sobre as tatuagens de Jack.

 

Assim, o final de LOST deixa um monte de perguntas em aberto e que podem perfeitamente ser descortinadas pelo espectador mas, melhor do que isso, oferece um final emotivo que faz justiça a toda a série ao confiar na inteligência do espectador e preferindo arriscar do que jogar pelo seguro, cabendo ao espectador interpretar o final como bem quiser. Um brilhante final para uma série genial. Foi uma bela caminhada. Obrigado.

 

10 potes de banha


Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:53


36 comentários

Imagem de perfil

De jonasnuts a 24.05.2010 às 13:34

Estava à espera deste post :)
Sem imagem de perfil

De MariaP a 25.05.2010 às 23:52


Realmente foi preciso ler este post para compreender algumas coisas. Ainda vou voltar a ver o episodio, agora que já li estas linhas e vou tentar perceber o sentido.

Também só agora é que percebi que a serie termina exactamente como começa. Tal como disse hoje a uma amiga minha, era ver tudo de novo e encaixar algumas peças, iríamos compreender algumas coisas melhor. Se bem que imensas coisas ficaram por explicar.

Acabei por perceber também, que eles eram imortais devido à luz da ilha.

Apesar de ter ficado um pouco, não sei se desiludida com o fim, mas esperava qualquer coisa que não aconteceu. Mas agora consegui ficar mais esclarecida e animada.

A primeira pergunta que fiz a mim própria quando terminei de ver o lost , foi mesmo "então para que serviu a bomba?". Apesar da explicação de que a bomba serviu para voltar a por tudo no lugar, fica por explicar porque é que os flash deles, se o avião não tivesse caído começaram desde então. Sobre isto, os flashes eram eles já mortos correcto?

Porque confesso, houve várias coisas que me desapontaram durante toda a temporada.
1º- Quando o avião caiu, o Boone e a Shannon iam nele, enquanto na 6ª temporada, no avião a Shannon ficou na Austrália porque o Boone não a conseguiu trazer.
2º- O Desmond não ia no avião com eles, porque estava na escotilha a inserir os números!
3º- A Juliet , ex mulher de Jack nos flashes, já estava na ilha quando o avião caiu.

A explicação mais lógica no meio disto tudo, será mesmo que eles já estavam todos mortos, porque de resto não sei onde encontrar a linha lógica da coisa. Por que raio é que o Jack passou a ter um filho? Bem, há muita coisa que ficou por explicar mesmo.

Apesar de acharem estúpida a pergunta dos números, era giro saber, de qualquer forma, isso não irá acontecer, porque segundo a entrevista feita ao produtor, nem ele próprio sabe - tirou à sorte!
Sem imagem de perfil

De MariaP a 26.05.2010 às 00:09

Acabei de ver um pequeno resumo do lost, pronto, dou o braço a torcer.
Com a explosão da bomba de hidrogenio, o avião não cai e desmond não tem de apertar o botão. Mas.. como é que ele foi dar ao avião deles que ia da Austrália? Não consigo atingir..
Imagem de perfil

De Antero a 26.05.2010 às 00:56

Ok, vamos lá com calma.

A realidade paralela, que não era mais do que um limbo antes do patamar seguinte após a morte (Céu, Paraíso, whatever), criado pelos próprios para se poderem reencontrar e seguir avante com as suas existências. Um lugar sem tempo fixo e que fica em local nenhum. Se a Ilha foi a parte mais importante das vidas daquelas pessoas, nada mais justo do que tentar reestabelecer contacto nem que seja a um nível espiritualmente mais avançado.

Assim, o limbo não precisa de estar ancorado em nenhum momento relevante de tudo o que se passou. Não há um momento em que possamos dizer "é a partir daqui que a realidade paralela existe". Nada disso. É todo um novo universo onde as personagens - e aqui está a beleza poética da temporada - operam uma redenção a si próprias. Jack tem um filho e reflecte nele os problemas que tinha com o seu pai e resolve-os; Ben é um indivíduo carinhoso que cuida do seu pai enfermo; Locke, ironicamente, provocou o acidente do seu pai, o que podemos assumir como uma vingança inconsciente pelo roubo do rim e tê-lo posto numa cadeira de rodas; Sawyer é um homem do lado da lei; Sayid mantém o amor por Nadia, mas não está envolvido com ela por todo o sofrimento que a relação entre ambos causou a ela; Claire leva a gravidez até ao fim e conhece o meio-irmão (Jack) de forma natural.

No entanto, para que os caminhos das personagens se cruzassem era necessário um cenário: nada mais nada menos do que o voo 815 da Oceanic. Pegar em detalhes como o facto da Shannon não estar no avião é infrutífero, uma vez que o que interessa é o futuro cruzamento dos caminhos de cada um e estava lá Boone para, posteriormente, a trazer de volta a Los Angeles. O mesmo é válido para Juliet e Desmond: eram necessárias circunstâncias para que estes se integrassem no contexto uma vez que ambos não estavam no voo 815 original. No caso dela, é ser a ex-esposa de Jack; no dele, foi inseri-lo directamente no mesmo cenário, até porque é por Desmond que eclodirão todos os "despertares". Além do mais, Desmond foi a Sidney como homem de confiança de Widmore e, tal como Eliose disse há uns episódios, tudo o que ele queria era a aprovação do pai de Penny. Por isso é que não interessa onde eles estavam e o que faziam quando a bomba explodiu ou quando o avião caiu na Ilha: nada destes eventos têm relação directa com a realidade paralela.

Quanto aos Números, a sua natureza foi devidamente explicada e o facto de eles aparecerem em todo o lado é uma mera curiosidade/coincidência digna da série. Partir o coco a pensar porque aparecem gravados na escotilha ou saíram na lotaria a Hurley não leva a lado algum. Os Números são os candidatos que ficaram para o fim, deles depende o futuro da Ilha e, inicialmente, eram 360 (cada grau de uma circunferência). Nada garante que outros tenham ido parar à Ilha e as coisas tenham corrido mal. Se calhar alguns deles eram da Dharma, ou de povos anteriores ou, mais interessante ainda, eram todos os passageiros do voo 815. Esta é uma das perguntas que considero melhores deixadas em aberto do que respondidas. É muito melhor formular as nossas teorias do que saber a resposta. Quase como um truque de magia.

Espero ter ajudado a perceber melhor o final.
Sem imagem de perfil

De MariaP a 27.05.2010 às 00:10

Ajudou. Torna-se menos escuro na minha mente sim. Disseste que os números foram devidamente explicados. Qual era a explicação? Não me lembro.

Apesar de perceber a parte bonita do fim, não estava à espera.
Imagem de perfil

De Antero a 27.05.2010 às 13:57

Falei neles no último parágrafo do meu comentário anterior. Para mais informações, vai a http://lostpedia.wikia.com/wiki/Numbers e começa a desvenda-los.
Sem imagem de perfil

De antonio a 26.06.2010 às 19:38

pena todas as pessoas que seguiram lost e tentaram perceber a sua historia nao olharem para o mundo real e perceberem que elas proprias entraram numa historia real que o produtor utilizou para ganhar fãs e dinheiro... ele proprio admitiu ter deixado tudo em aberto para imortalizar a historia ou seja fez dos seguidores "parolos"...
Sem imagem de perfil

De carla a 24.05.2010 às 16:00

ai que custa tanto olhar para estes posts do LOST e não ler...bem, li a última frase e já me deixou happy saber q é considerado um bom final...ansiosa para q esteja à venda ,já q lá em casa só há 4 canais
Sem imagem de perfil

De João Bragança a 24.05.2010 às 16:05

Já vi bastantes episódios, para poder fazer um juízo: é uma espécie de Manoel de Oliveira, mas à Americana, com tiros e explosões. É uma estopada e não faz sentido, logo agrada aos críticos e aos intelectuais, que nem para lavarem as mãos depois de obrar têm inteligência... Tenho dito... Não gosto, não acho piada, não vejo onde está a genialidade nisto...
1 abraço
Imagem de perfil

De Antero a 24.05.2010 às 20:33

LOST sempre foi uma série de "ame-se ou odeie-se", dificilmente há meio termo. Nesse aspecto, o final foi fiel essência da série. Eu adorei, mas a Internet está em polvorosa com o pessoal que não gostou e, sinceramente, não os posso recriminar.
Sem imagem de perfil

De foxizzel a 25.05.2010 às 18:53

bastantes? isso merece um "lol" ou acompanhas e percebes ou não acompanhas e ficas a anhar. basicamente é isso. mete na SIC e ve a lua vermelha talvez seja mais interessante
Sem imagem de perfil

De turu a 27.05.2010 às 23:33

lost é uma merda. get real. ;)
Sem imagem de perfil

De João Bragança a 29.05.2010 às 22:42

Deves ser burro tu!
Mete tu no Disney Channel e vê Hannha Montana (ou raio) talvez gostes :D
Sem imagem de perfil

De No Lostalgic a 24.05.2010 às 20:58

Quando vi a palavra LOST " no fim, senti-me como quando se fecha um livro depois de ler uma grande história.
Com uma lágrima e um sorriso na cara, as respostas que procurava desvaneceram-se perante a força da mensagem.
Assim como um bom livro, vale a pena voltar a ver.
Sem imagem de perfil

De carolina oliveira a 25.05.2010 às 12:28

Para quem vê a série desde o inicio, sem perder pitada, e compreende verdadeiramente o seu sentido.... Foi um final especialmente perfeito!!! :)
Sem imagem de perfil

De Samuel a 25.05.2010 às 12:31

Tive que ler umas coisas aqui e ali para compreender verdadeiramente o que se passou... mas estou satisfeito, mais do que satisfeito.

Com performances daquelas, personagens tão genuínas, como é que não poderíamos ficar satisfeitos.

A ilha é um local místico, misterioso e faz todo o sentido de que muita coisa não tenha resposta. Afinal de tudo, e notou-se isto no fim, não foi uma série de "ciência", foi uma série de cruzamento entre a fé, as crenças e também as certezas da ciência.

A única coisa que eu realmente fiquei sem compreender foi qual o significado e efeito da explosão da bomba no final da 5ª série. Talvez a resposta é simples, mas agora não consigo ligar as peças do puzzle :) A bomba foi simplesmente o "trigger" para a nossa percepção do "purgatório"?

Completamente de acordo no que diz respeito aos últimos minutos. Aliás, diria que a partir do min 34, na conversa entre Ben e Locke com os flashes da ilha (conversa entre Ben e Hugo) a série começa a revelar o essencial. A ilha existiu, sempre existiu. E eles sempre existiram na ilha. Jack passa o "legado" a Hugo que se encarrega dos destinos da ilha com o Ben como o seu número dois (o que acaba por se confirmar com a conversa entre dois: "você foi um muito bom número 2 (...) e tu foste um grande número 1... " Ou seja, a vida deles na ilha continuou... mas sem Jack... enquanto que os outros regressaram finalmente a casa.

Já no purgatório, eles (os losties) finalmente encontram-se para poder continuar a "viver", juntos, para sempre... e como a ilha nunca os permitiu fazer.

A Televisão nunca mais será igual :(

Sem imagem de perfil

De Samuel a 25.05.2010 às 12:38

LOL.
Só agora é que reparei que a série acaba da mesma forma que começa... com o Jack a abrir (início) e depois a fechar os olhos (fim).
Imagem de perfil

De Antero a 25.05.2010 às 12:58

A explosão da bomba serviu para corrigir a linha do tempo e transportar os losties (que, no fundo, eram anomalias) de volta para os seus devidos lugares.

Aliás, dá para perceber agora que a viagem no tempo foi a grande jogada do Homem de Negro para afastar os candidatos e poder manipular todos à vontade para matar Jacob - e quando este lhe diz, mesmo antes de morrer, que "eles estão a chegar", o Falso Locke fica surpreendido. Só a persistência de Jack levou a que os seus planos saíssem furados e, na sexta temporada, já estavam todos no mesmo local e no mesmo ano.
Sem imagem de perfil

De Sampaio a 26.05.2010 às 01:25

este e o meu primeiro comentario aqui pois so tomei conhecimento deste blog á muito pouco tempo; acompanho a serie de LOST desde o primeiro episodio, e tenho que admitir que seria muito dificil os argumentistas responderem a todas as perguntas, mas nao gostei muito do final, pois acho que esta um pouco confuso.
tipo afinal existia,ou nao, uma segunda realidade?é que nessa mesma realidade o jack esta vivo e a seguir esta morto?!?!deveria ser, digo eu, quando o jack morresse na segunda realidade, devia de ir para outra, nao sei...
e tem outra coisa, o jack e o ultimo na segunda realidade a ser "acordado", porque a medida que ele morre na primeira realidade, na segunda ele vai-se lembrando das coisas, mas ao ser o ultimo a ser "acordado" devia ser o ultimo a morrer na primeira realidade, coisa que nao acontece!?!?!
nao percebi!?!?

posso dizer que foi um final, que revela o k LOST foi, uma serie acima de todo de fé e convicção, mas, ao meu ver podia haver umas perguntas, respondidas.

Antero e agora que acabou lost, vai acompanhar outra serie?
Imagem de perfil

De Antero a 26.05.2010 às 09:28

Sampaio, leio o meu comentário em resposta à MariaP onde explico a minha visão da realidade paralela, que mais não é do uma espécie de Purgatório. Todos eles estavam mortos e a ordem de mortes não tem qualquer relação com a ordem dos "despertares", mas sim com os momentos reproduzidos (parto de Aaron, recuperação de Locke, reencontros...). Até faz sentido que Jack seja o último, já que ele é o protagonista e o nosso maior elo de identificação com a série.

Eu acompanho várias séries ao mesmo tempo, só que só falava de LOST no blog. Talvez veja 'Fringe' ou aproveite para pôr-me em dia com outras, mas não deverei escrever semanalmente.
Sem imagem de perfil

De Samuel a 26.05.2010 às 10:51

Fringe Antero?
Coincidência....
Uma amiga minha também a recomendou a propósito do facto de Lost ter acabdo e de FlashForward - que tencionava ver - ter sido cancelado :)
Sem imagem de perfil

De Sampaio a 26.05.2010 às 14:07

mas flashforward continua a sim, pelo menos saiu a semana passada.
Sem imagem de perfil

De Sampaio a 26.05.2010 às 14:09

tem um erro o meu comentario anterior, queria dizer:
"mas flashforward continua a SAIR, pelo menos saiu a semana passada."
Sem imagem de perfil

De Samuel a 26.05.2010 às 14:18

Sim, é verdade.
E amanha, dia 27 sai outro.
Mas será o último da série.
Sem imagem de perfil

De pmcalheiros a 28.05.2010 às 18:13

Epá ..fringe n é mau para distrair ... mas n é uma boa série ...isto é... não está ao nivel de LOST nem ao nivel dos X-FILES (que de certa forma tenta emular).
Sem imagem de perfil

De Nuno a 27.05.2010 às 03:25

Vejam, que vale a pena :)
Sem imagem de perfil

De seduzir mulheres a 26.05.2010 às 15:10

Estou de luto até agora... mas achei que o final deixou algumas coisas em aberto... será que vai ter uma sequência??
Sem imagem de perfil

De Sampaio a 26.05.2010 às 17:28

nao acredito k tenha, nao tou a ver os argumentistas dizerem k este era o ultimo episodio e depois lançarem outro.
Sem imagem de perfil

De Nuno a 27.05.2010 às 03:23

Sem querer entrar em grandes considerações sobre o final da série, só não percebi uma coisa: então o avião que eles apanharam na Ilha Hidra não estava cheia de explosivos?
Imagem de perfil

De Antero a 27.05.2010 às 13:55

Locke deve ter desarmadilhado tudo antes de os levar para o submarino, afinal ele pretendia usar o avião para sair da Ilha.
Sem imagem de perfil

De Lissa a 27.05.2010 às 03:39

Depois de ver o final de LOST.......humpf....respostas já se sabia que não iriam ser reveladas, pelo andar desta season já era notório! :S Mas mesmo assim faltava alguma coisa neste final! Ah a parte mais ridícula foi a conversa do Miles com o Alpert sobre o cabelo branco "Ah temos de apanhar um avião na outra ilha mas deixa-me tirar-te aqui um cabelo branco para veres como estás a envelhecer!"LOL

Bem a única coisa que bateu certo com a minha teoria desde sempre foi que seria um purgatório! já desde a segunda temporada que andava a "matutar" nisso!
Mas apesar de tudo o final foi "kind of sweet" :)
Sem imagem de perfil

De Lost Pedro a 31.05.2010 às 16:11

na 2ª season ainda não havia nenhuma referência à realidade paralela (purgatório/limbo). acho dificil prever isso na 2º temporada... havia sim, as referências (flashs) da vida deles antes de iram para o ilha.

ou deves conhecer o jacob que te disse algo...

o pormenor do cabelo branco simboliza a esvazair do poder da ilha (devolvendo a mortalidade tanto ao Richard como ao Fake Locke). acho que não houve um unico segundo do final do lost que estivesse a mais. opiniões, digo eu.

Comentar post


Pág. 1/2



Banha de Cobra

Alvará

Antero Eduardo Monteiro. 30 anos. Residente em Espinho, Aveiro, Portugal, Europa, Terra, Sistema Solar, Via Láctea. De momento está desempregado, mas já trabalhou como Técnico de Multimédia (seja lá o que isso for...) fazendo uso do grau de licenciado em Novas Tecnologias da Comunicação pela Universidade de Aveiro. Gosta de cinema, séries, comics, dormir, de chatear os outros e de ser pouco chateado. O presente estaminé serve para falar de tudo e de mais alguma coisa. Insultos positivos são bem-vindos. E, desde já, obrigado pela visita e volte sempre!

Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Armazém

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D