Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




ALERTA DE SPOILER! Este post contém informações relevantes, pelo que é aconselhável que só leiam caso estejam a par da exibição norte-americana.

 

 

Desperate Housewives 5x13: The Best Thing That Ever Could Have Happened

O centésimo episódio trouxe uma história fechada e sem relação com o percurso da quinta temporada; no fundo, foi praticamente uma homenagem a toda a série com a participação activa de Mary Alice e as aparições dos saudosos Rex Van de Kamp, Martha Huber e Xiao Mei. Estes foram, simultaneamente, os pontos fortes e fracos do episódio: não gosto quando não avançam com a narrativa e este episódio não trouxe nada de novo, mas como tem a desculpa da homenagem por trás de si até que nem foi mau de todo. Eli Scruggs era o “faz-tudo” de Wisteria Lane até que, no último dia de trabalho, acaba por falecer. Com a comoção geral, as housewives lembram momentos marcantes de Eli nas suas vidas e foi divertido perceber que ele foi o primeiro impulsionador do livro da Bree bem como ajudou Edie a superar as suas “necessidades”. Ainda assim a melhor parte foi novamente a de Gaby: voltando ao tempo em que era rica, fútil e nariz empinado, toda a sequência do jogo de poker foi hilariante, principalmente quando ela diz que só queria pegar numa arma e suicidar-se ao mesmo tempo que dá uma sapatada amigável em Mary Alice. A parte da Susan foi mais do mesmo, com Eli a ajudá-la nas suas crises amorosas, mas o que me irritou foi mesmo a de Lynette: que mãe faria aquilo durante o próprio trabalho de parto?! Já para não falar que ela já tinha os 3 rapazes (se fosse durante a gravidez dos gémeos ainda se compreendia) e toda aquela sequência do trabalho versus a gravidez suou como uma desculpa forçada para Felicity Huffman brilhar o que, de certa forma, atenuou o vexame da cena. Episódio redondinho, sem grandes novidades.

7 potes de banha

 

House 5x12: Painless

O caso da semana trouxe um pai de família que sofre de dor crónica há mais de 3 anos, numa pequena alusão à constante situação de House, embora este se vá aguentando com os banquetes de Vicodins. Devido ao sofrimento que causava à esposa e ao filho, ele tenta cometer suicídio e acaba por ir parar ao hospital para ser tratado por House. Num episódio estranho e um pouco desequilibrado, tivemos óptimas cenas como Cuddy a tentar aliar o papel de mãe aos seus compromissos profissionais e a cena em que o miúdo simula dores para ajudar o pai a cometer suicídio novamente. Por outro lado, o tempo perdido com a Treze (mais uma vez...) a sua indecisão com Foreman e o cansaço cada vez mais evidente de Hugh Laurie com a personagem e com a série (as birrinhas com Cuddy estão cada vez mais repetitivas) mancharam e muito o episódio. No final, uma boa e má notícia: Cuddy propõe a Cameron passar-lhe algumas funções do hospital, o que poderá levar a uma maior participação da segunda e com grandes picardias com House. Por outro lado, poderá significar uma menor participação de Lisa Edelstein como Cuddy, o que é uma pena pois a actriz é excelente e a química com House está melhor desenvolvida do que a amizade com Wilson.

7 potes de banha

 

How I Met Your Mother 5x13: Three Days of Snow

Barney e Ted são uns imaturos por natureza (mais o primeiro que o segundo); Marshall e Lily são o típico casal “cola”; Robin é racional e pouco romântica. Seguindo estes estereótipos estabelecidos nos últimos 4 anos, a série oferece um excelente episódio em que três histórias distintas são contadas e, no final, temos direito a uma cambalhota narrativa surpreendente. Num dos maiores nevões de sempre, Barney e Ted ficam com o bar McLaren’s por conta deles e decidem impressionar umas miúdas que trazem mais problemas que vantagens, enquanto Marshall decide não cumprir a tradição de ir buscar Lily ao aeroporto, mas logo muda de ideias e obriga Robin a ir com ele (e depois tem de aturar uma discussão em que é acusada de ser fria e robótica nas relações). No avião, Lily também está decidida em não cumprir a tradição de não levar um pack de 6 cervejas para Marshall, mas também muda de ideias e é auxiliada pelo motorista Ranjit. Com estas três histórias, How I Met Your Mother dá-nos um episódio surpreendente e hilariante, em que Barney brilha mais uma vez nas suas teorias malucas (aquela do bingo foi demais). A série prova que, neste novo ano, quer regressar ao patamar das grandes comédias televisivas actuais.

9 potes de banha

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:41



Banha de Cobra

Alvará

Antero Eduardo Monteiro. 30 anos. Residente em Espinho, Aveiro, Portugal, Europa, Terra, Sistema Solar, Via Láctea. De momento está desempregado, mas já trabalhou como Técnico de Multimédia (seja lá o que isso for...) fazendo uso do grau de licenciado em Novas Tecnologias da Comunicação pela Universidade de Aveiro. Gosta de cinema, séries, comics, dormir, de chatear os outros e de ser pouco chateado. O presente estaminé serve para falar de tudo e de mais alguma coisa. Insultos positivos são bem-vindos. E, desde já, obrigado pela visita e volte sempre!

Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Armazém

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D