Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Alguns esclarecimentos:

  • Paulo Bento pega numa equipa destroçada pelo Carlinhos e já com a fase de qualificação para o Euro 2012 em andamento;
  • À exceção de dois jogos (Dinamarca e Bósnia, ambos cá), incute um futebol pouco vistoso, quase de serviços mínimos, mas eficiente e Portugal vai ao Europeu;
  • Toma decisões invulgares (Hugo Viana como segunda escolha, Manuel Fernandes nem a cheira) e envolve-se em rábulas bizarras (Bozingwa e Ricardo Carvalho), mas consegue blindar o grupo;
  • Portugal é incluído no grupo da morte com Alemanha, Holanda e Dinamarca (primeiro lugar no grupo de qualificação);
  • Os amigáveis correm muito mal: exibições pálidas, jogadores em sub-rendimento, a crónica ineficácia atacante. Além disso, os setores não se entendem e a defesa mete água inexplicavelmente;
  • Perde a primeira partida do Europeu ao abusar do controlo do jogo alemão quando estava mais que visto que estes abordavam a Seleção com pinças. Portugal decide carburar após sofrer o golo aos 75 minutos e, sem alguém que a meta lá dentro, perde naturalmente por que a Alemanha raras vezes brinca em serviço.

Depois disto tudo, haveria alguém que objetivamente acreditasse que Portugal chegaria às meias-finais da competição, sendo eliminada nos penaltis pela Espanha campeã europeia e mundial? Por tudo isto, Paulo Bento está de parabéns: não se deixou abater pelas adversidades e pela desconfiança, incutiu um espírito coletivo no grupo (tínhamos grandes jogadores, mas não tínhamos equipa) ainda que com bastantes percalços pelo meio, confiou nos que tinha à disposição e estes não o deixaram ficar mal. Para mim, cujas expectativas eram pouco mais que zero, esta campanha é nada menos que excelente.

 

Esta Espanha pode não ter o fulgor dos últimos anos, mas não deixa de ser a Espanha que enfia no seu onze a força do Real Madrid e a magia do Barcelona. Portugal bateu-lhes o pé, anulou-lhes o jogo e fez 90 minutos sólidos em que o equilíbrio foi dominante. Depois veio o prolongamento e, aí sim, Portugal não teve pernas para os acompanhar, limitando-se a resguardar a baliza de Patrício enquanto a Espanha ia subindo e subindo no terreno. Sinceramente, a haver vencedor sem penaltis seria a Espanha: teve mais pulmão, mais cabeça e lutou mais para que o jogo não passasse do prolongamento. Portugal lutou muito e bem, mas foi inofensivo nos 30 minutos extra. Na lotaria final, alguém tinha de cair. Caímos nós. Acontece. Já estivemos do outro lado da barricada; alguma vez teria de ser ao contrário.

 

Não queria atirar pedras a ninguém, mas acho que alguns reparos devem ser feitos. Nani foi inconsequente durante todo o torneio. Nelson Oliveira foi pouco mais que uma aposta falhada (tem potencial, mas está na linha ténue que separa o sucesso do flop). Hugo Almeida é um inútil a atacar, mas ajudou nas tarefas defensivas e talvez tenha descoberto aqui a sua verdadeira vocação. João Pereira e Bruno Alves têm de ter mais calma a abordar certos lances (e isto não vem de agora). Paulo Bento podia ser mais ambicioso nas substituições, mas preferiu jogar em contenção e ele lá saberá. Desde o Sporting que João Moutinho não serve para marcar penaltis, mas... enfim.

 

E foi assim que acabou a participação no Euro 2012. Contra todas as críticas e olhares de soslaio (eu que o diga). Tudo o que espero agora é uma fase de qualificação tranquila para o Mundial 2014. Paulo Bento mostrou que há matéria-prima para isso. É que já chega da turbulenta calculadora e play-offs da treta para nos safarem.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 01:12


11 comentários

Sem imagem de perfil

De Telmo a 28.06.2012 às 02:36

A procura do avançado com perfil e capacidade para a selecção parece não ter fim.. e o futuro não parece nada prometedor.. mas a esperança no Nelson Oliveira continua.. se jogasse mais no Benfica talvez melhorasse. Se formos a ver os pontas de lança das outras 16 selecções dá para ver que nós temos dos mais manhosos, mas pelo menos o Nelson ou o Postiga devem servir para o apuramento para o Mundial.

Acho que perdemos um pouco o meio campo com as saídas do M. Veloso (já estava a falhar passes) e do Raul Meireles, mas a única coisa que tenho a apontar ao Paulo Bento é de facto a insistência no João Moutinho para marcar penaltys. Já no Sporting era a mesma coisa, lá, a Maça competia com o Liedson para ver quem falhava mais. De resto penso que Paulo Bento tem estado bastante bem. Pena o banco de Portugal também não permitir grandes alterações, coisa que ele já esta habituado depois de alguns anos no Sporting.
Sem imagem de perfil

De Nuno a 28.06.2012 às 02:58

Concordo em quase tudo. De facto, a caminhada de Portugal excedeu as expectativas e, eu que vi quase todos os jogos, fomos autores das melhores exibições.

A questão do Moutinho...eu penso que foi mais olhar para o resto do 'onze' e dizer: quem é que bate? Nelson Oliveira? Varela? João Pereira? Penso que o que falhou foi que o Ronaldo devia ter batido primeiro, de resto, é uma lotaria.

Só acho que podias ter focado num aspecto: nas boas exibições da seleção. E aí, retiro o nome do Moutinho que foi, para mim, o melhor jogador de Portugal em todo o torneio. E o jogo de hoje foi soberbo.
Sem imagem de perfil

De Rui Costa a 28.06.2012 às 09:47

Essa embirração com o Bento e sobretudo com a selecção é tão portuguesa. Desculpa, mas é pequenez.

Custa assim tanto dizer que a selecção portuguesa fez ontem um dos melhores jogos deste século?

Apenas um comentário mais específico: substituições arrojadas só se fossemos buscar alguém ao banco da Espanha. Porque no nosso fica bem difícil.
Imagem de perfil

De Antero a 28.06.2012 às 13:13

Pequenez é atacar o Scolari por que não convoca o Baía. Paulo Bento e a Seleção não estão imunes à crítica. Se não houvesse nada a apontar, estaríamos agora a festejar uma final e, quiçá, um título europeu.

Custa. Assim de cabeça lembro-me de uma mão cheia de jogos melhores que o de ontem, só neste século. E se incluíres o ano de 2000, então o número sobe em flecha. Portugal jogou bem, fintou as limitações, mas não deslumbrou. E se toda a gente criticou a Inglaterra por que não jogou nada com a Itália e quis levar a decisão para os penaltis, o que dizer do nosso prolongamento? Ah e tal, Seleção NACIONAL... Paulo Bento... ui, a pátria... aahh, bardamerda.

Arrojo era jogar sem ponta-de-lança. Ou meter o Hugo Viana. Ou Quaresma. Isto, claro, não soa arrojado para ninguém, exceto para Paulo Bento, um homem de ideias fixas. Nada contra, mas se corresse sempre bem era um milagre.
Sem imagem de perfil

De Vera a 28.06.2012 às 10:54

Eu sei, eu sei, eu sei. Eu sei que é verdade, que Portugal jogou muito bem, que os penaltis são uma sorte, que tivemos muito azar, que batemos records d bolas ao poste, que a bola que bateu no nosso poste entrou e mimimi. Mas sabe-me a pouco! Gosto destas coisas da selecção, gosto de ver toda a gente a torcer pelo mesmo, gosto de arrepiar-me com o hino, gosto de ver os noticiários a "esquecer" a crise e gostava mesmo de na segunda-feira comprar um jornal a dizer "CAMPEÕES"!! Para mostar aos netos :P.

Como não pode ser, a minha opinião fica resumida a este post "Portugal, a ser fodido pelo universo desde 1143" do blog http://oblogdodesassossego.blogspot.pt :

"Demos porrada na mãe, desbravámos meio mundo, enriquecemos, gastámos o dinheiro e o ouro todo, perdemos meio mundo, fomos invadidos, dominados, expulsámo-los a todos, ficámos, levámos com um terramoto e um maremoto, reconstruímos tudo e ainda mais bonito, andámos a queimar e a ser queimados durante quase 3 séculos de inquisição, matámos o rei, lutámos uma guerra imbecil, levámos nas trombas e perdemos tudo outra vez, fomos torturados, calados, empobrecidos de espírito e conhecimento, amochámos, revoltámo-nos e tomámos as rédeas, cometemos erros, levámos com cortes nos ordenados, despedimentos e ameaças da Alemanha. E agora estes cabrões que nos roubaram Olivença (e a Galiza também devia ser nossa, porra) levaram a moral que o povo precisava para aguentar o corte do subsídio de Natal mais a crise e o desemprego e a emigração outra vez e os empregos precários nem que fosse só durante uns meses. Hermanos é mas é o caralho, vão-se foder mais a vossa princesa anorética viciada em plásticas e o príncipe meio atrasado e o rei que mata elefantes e a rainha mansa porque jogámos muito melhor do que vocês e caralho se não fosse este azar que nos persegue desde há séculos de existência tínhamos ganho esta porcaria que não signifca nada e não passa de uma palhaçada mas que foda-se já que chegámos aqui era andar mais um bocadinho e quem sabe acabar com este enguiço e com este "faltou-nos um bocadinho assim". "

E tenho dito =)
Sem imagem de perfil

De rui costa a 28.06.2012 às 14:12

Precisamente, Antero. Criticar o Scolari por não convocar o Baía, criticar o Bento por não convocar o Carvalho e o Bosingwa. Precisamente.

Quanto ao resto, claro que há criticas a fazer. Ainda bem, significa espaço para progredir. Mas para essa progressão convém aceitar a realidade. É util.
Sem imagem de perfil

De rui costa a 28.06.2012 às 14:17

Quanto ao teu comentário sobre a matéria prima, convém não criar ilusões. Não temos neste momento alternativas de qualidade a uma base de 14 jogadores.

E a menos que haja uma mudança de postura nos clubes portugueses (poderá a crise forcá-la?), esta situação só se agravará.

Mas que somos capazes de criar futebol e futebolistas de topo, não haja dúvida. Isso ficou patente neste Europeu.
Sem imagem de perfil

De rui costa a 28.06.2012 às 14:27

Finalmente, quanto aos jogos bem melhores de que os de ontem, de facto a \"nota artística\" ontem não foi elevada. Mas se eu quisesse ver exibições de notas elevadas, talvez devesse passar às transmissões de ballet.
Imagem de perfil

De Antero a 28.06.2012 às 15:38

Diz-me onde critiquei Paulo Bento por não convocar esses dois. Apenas constatei um facto. Foi pelo "rábulas bizarras"? Ora, um dos melhores (se não o melhor) na sua posição à nossa disposição deixa de ser convocado de um momento para o outro; noutro caso, um jogador reconhecidamente profissional passa-se dos cornos, amua, sai do treino e praticamente manda o selecionador à merda. É estranho? É. Paulo Bento esteve bem? Sim, foi fiel às suas escolhas.

Agora... diz lá que o Manuel Fernandes ontem não teria dado um jeitão? Ou tentar jogar sem ponta-de-lança? Ou deixar de fazer do Almeida um jogador?

Quanto à postura dos clubes portugueses, ela dificilmente mudará. O jogador médio português não interessa ao nossos clubes e os poucos que se destacam vão logo parar ao estrangeiro. Esta é a triste verdade.

O jogo de Portugal foi inteligente enquanto as pernas aguentaram e só. No geral, foi um jogo pobrezinho. Nas estivesse a Seleção envolvida e aquilo daria sono. O que muitos não percebem é que lá por eles terem superado todas as expetativas, isso nãoos inibe de erros e críticas. Não eram os piores ontem, nem são os melhores hoje, não é assim?

E, aliás, há uma ligeira diferença entre dizer que "não fomos inferiores" e "fomos superiores". Superiores à Espanha em quê? Nós anulámos o melhor deles e eles anularam o nosso melhor. No prolongamento, foi um "ai Jesus!" durante intermináveis trinta minutos.
Sem imagem de perfil

De Rui Costa a 28.06.2012 às 18:16

Ora aqui vai uma visão mais equilibrada entre os nossos extremos, penso eu de que. http://planetadofutebol.com/artigos/onze-jogadores-e-uma-bola

"Esta seleção desafiou os seus próprios limites e, mesmo perdendo a ida à Final nos penaltys, penso que os venceu e superou. A atual realidade do nosso futebol (seleção) não é a meia-final do Euro. Não se iludam com isso."

Sem imagem de perfil

De apostas desportivas a 30.08.2012 às 15:53

Lembrei-me deste post há dias atrás, quando o Braga derrotou a Udinese precisamente nos penalties para seguir em frente na liga dos campeões... :D

Prova que o futebol português não está de costas voltadas com os penalties... :D e já tinha saudades de festejar uma vitória no "mata mata"

Comentar post



Banha de Cobra

Alvará

Antero Eduardo Monteiro. 30 anos. Residente em Espinho, Aveiro, Portugal, Europa, Terra, Sistema Solar, Via Láctea. De momento está desempregado, mas já trabalhou como Técnico de Multimédia (seja lá o que isso for...) fazendo uso do grau de licenciado em Novas Tecnologias da Comunicação pela Universidade de Aveiro. Gosta de cinema, séries, comics, dormir, de chatear os outros e de ser pouco chateado. O presente estaminé serve para falar de tudo e de mais alguma coisa. Insultos positivos são bem-vindos. E, desde já, obrigado pela visita e volte sempre!

Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Armazém

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D