Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Assassinaram o Dexter!

por Antero, em 26.12.11

ALERTA DE SPOILER! Este post contém informações relevantes, pelo que é aconselhável que só leiam caso estejam a par da exibição norte-americana.

 

 

Dexter: temporada 6

Oh, God! – exclama Dexter antes de encerrar o seu sexto ano. Que bosta de final! E de temporada! – acrescento eu.

 

Seria de esperar que a série quisesse recuperar-se da fraca temporada anterior e os rumos até apontavam nesse sentido: a discussão sobre religião trazia um seguimento lógico a uma personagem que busca algum tipo de redenção e de integração numa sociedade na qual tem de ocultar e redirecionar constantemente a sua essência. A figura de Brother Sam, um indivíduo que encontrou na Fé a salvação para um passado criminoso, oferecia o contraponto necessário para a postura cética do nosso anti-herói enquanto Travis e Geller estabeleciam-se como vilões eficientes, mas nada digno do Trinity de John Lithgow (já lá vamos à grande "revelação" da temporada). Nisto, Brother Sam é assassinado e, ao vingá-lo num momento de raiva absoluta, Dexter é acometido pelo lado negro do seu Passageiro Sombrio, antes suavizado pela figura paterna, e agora controlado pela imagem do seu irmão, o Ice Truck Killer. Pena que durou tão pouco.

 

Em tantos aspetos que me incomodaram, este foi um deles: a tendência da narrativa não mergulhar a fundo nas suas ideias. A discussão religiosa ficou pela superfície, talvez por receio de irritar uma parcela do público, e mesmo o facto de ver um Dexter tomado na íntegra pelo seu instinto homicida foi resolvido num capítulo. Pior que isto, só deixar narrativas pelo meio, num puro desperdício de tempo e de talento do elenco: o imbróglio de Matthews serviu para provar a idoneidade de Debra e o jogo sujo de LaGuerta, mas e daí? Batista e Quinn pareciam saídos de uma comédia policial, o novo detetive não serviu para nada, a irmã do Batista e o estagiário do Masuka ocuparam mais tempo do que deveriam e nem quero pensar que este está a ser preparado para ser o próximo vilão apenas por... não conseguir impressionar o Dexter! Até atentados terroristas tivemos este ano. Cruzes!

 

Nada disto se compara à imbecilidade de criar uma trama romântica entre os irmãos Morgan. Tudo bem que eles não irmãos biológicos, mas – que caraças! – eles foram criados juntos desde cedo! E nada disto foi minimamente abordado nos últimos anos. De onde surgiu isto, então? Ora, da necessidade de estabelecer um conflito em Debra aquando a sua descoberta do segredo do irmão, talvez por que amor fraternal não seria suficiente nas cabeças acéfalas de quem idealizou tamanha cretinice. E dá-lhe sessões com a terapeuta menos articulada da História (deu saudades de In Treatment) capaz de convencer a pobre Debra que a sua dependência do irmão é... amor! E dá-lhe quase orgasmos na presença de Dexter! Chiça, penico!

 

Quanto à revelação que Gellar é uma alucinação de Travis, bem... desconfiei logo no primeiro capítulo. Afinal, se Dexter tem o seu pai para o auxiliar, não seria descabido pensar que um novo assassino poderia ter um semelhante. No entanto, uma mera suspeita tornou-se algo ridiculamente óbvio ao arrastarem a questão semanas a fio e tornou-se vergonhoso perceber que Travis, desenvolvido como um sujeito normal levado a cometer atrocidades em nome da Fé (um tópico corajoso e ambicioso), logo foi transformado num psicopata esquizofrénico caricatural igual a tantos outros - uma solução covarde e preguiçosa. E que me perdoem aqueles que gostaram de Debra ter descoberto que o irmão é um assassino, mas eu gostaria que a situação tivesse sido construída com mais cuidado e não que ela decida, do nada, declarar-se para o irmão... e numa cena do crime! Ou seja, isto veio com uma temporada de atraso, o que aumenta mais a minha irritação com os caminhos que Dexter tomou nos últimos dois anos.

 

Não posso deixar de referir aqui os numerosos momentos constrangedores que rechearam esta temporada e cá vão eles:

  • quando já muitos desconfiavam que Gellar era uma alucinação, Travis receia que ele apareça a qualquer momento. No jardim de casa da irmã...
  • ainda estou para perceber como Dexter safou-se das cordas que o prendiam no barco a incediar por Travis. Vi-o a tentar roê-las, mas, que eu saiba, Dexter não é um vampiro...
  • o nosso herói está em alto-mar, sem possibilidade de salvação, e convenientemente aparece um barco com imigrantes clandestinos chamado... Milagro!
  • Debra sonha com um jantar romântico ao lado do irmão...
  • Dexter apercebe-se do ataque com gás e ainda bem que estava lá aquela salinha disponível para isolar a moça...
  • Debra está com tusa pelo irmão que lhe aparece à frente... sem camisa...
  • eu acho que o estagiário roubou uma falsificação da mão da vitíma do Ice Truck Killer por que aquilo tem um ar tosco de plástico, espécie de adereço de série televisiva. Eu queixava-me já à Amazon....
  • como Dexter conseguiu carregar com Travis e o filho do topo do prédio sem o pessoal da Miami Metro chegar?! Talvez por que estes sejam incompetentes, já que...
  • ... esperam pelo analista de sangue antes de verificarem uma cena do crime!
  • e como ninguém deu conta das marteladas de Dexter na parede para apagar a sua cara desenhada por Travis?
  • Dexter mata o latino criminoso à frente de dezenas de pessoas e nem parece se chatear com isso...
  • Dexter envia uma mensagem de vídeo para o telemóvel de Travis a anunciar o seu fim. Nem sei como qualificar isto...
  • o que deu a Dexter para matar Travis numa igreja?! Era logo numa praça pública! E ainda por cima no local que Debra sabia onde ele estaria. Que amador...
  • Michael C. Hall é um grande ator, mas na cena em que finge ter-se injetado deu-me cá uma pena dele...
  • Debra, a nova tenente, está com as chefias à perna e Dexter insistir na investigação a solo sobre Travis sabendo que a irmã está no lodo. Porra, Dexter, deixa de ser chato e ajuda a irmã!
  • Travis invade a festa do infantário de Harrison e rapta-o na maior das calmas enquanto Dexter atende um telefonema de dois minutos, se tanto. Nem sei se felicito Travis por ser tão eficaz, se reclamo das educadoras de infância ou se insulto Dexter por se ter distraído quando um serial killer anda no seu encalço, sabe onde ele mora e que tem um filho.

Acho que já chega.

Não nego que a próxima temporada tem um potencial enorme, mas receio que os produtores vão arranjar novas formas de estragar tudo em vez de levá-la a bom porto. O Dexter que conheciamos está agora no Paraíso das Séries juntamente com LOST, Seinfeld, Friends e Os Sopranos. Amputada de dois membros, é certo, mas eu estou em crer que lá em cima também se preocupam com questões de acessibilidade.

 

Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.


Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:56


4 comentários

Sem imagem de perfil

De Dark a 27.12.2011 às 09:46

E mais nada..... COncordo, concordo e concordo!

Os trailers que que demonstravam conflito religioso eram tao promissores mas... Gellar estar morto foi daquelas que se via a léguas... e o pronto, Dexter entregar-se ao lado negro da força foi curto... Literalmente ficou o sentimento de uma temporada que se ficou pela rama em todos os aspectos...

Só um pormaior, gostei da Debra descobrir o segredo de Dexter mas sim, esta descoberta peca pelo atraso de uma Temporada :P Abriu imensas portas para a proxima temporada... Aliás, ficaram imensas portas abertas para a proxima temproada, até demais... Receio que voltemos a ter uma temporada que se fique pela rama... :(

Sim, subscrevo a opinião de que dexter está amputado de 2 membros, agora vamos lá ver... Resta-nos Fringe que ainda não desiludiu :)
Sem imagem de perfil

De paulo a 28.12.2011 às 23:24

Só te tenho a dizer isto. Adorei a temporada, adorei o final.
Vejo desde sp e n desiludiu, melhor que a 3ª.
Tal como a tua vale uma e somente uma opinião.
Talvez eu consiga é alterar menos as opiniões das pessoas que tu
Sem imagem de perfil

De Dark a 30.12.2011 às 11:24

Se fossemos todos iguais e gostassemos todos do mesmo so se comiam as coxas do frango de churrasco :)

Ainda bem que gostaste...
Sem imagem de perfil

De AntBorges a 31.12.2011 às 15:03

Não diz nada de jeito este crítico...

Comentar post



Banha de Cobra

Alvará

Antero Eduardo Monteiro. 30 anos. Residente em Espinho, Aveiro, Portugal, Europa, Terra, Sistema Solar, Via Láctea. De momento está desempregado, mas já trabalhou como Técnico de Multimédia (seja lá o que isso for...) fazendo uso do grau de licenciado em Novas Tecnologias da Comunicação pela Universidade de Aveiro. Gosta de cinema, séries, comics, dormir, de chatear os outros e de ser pouco chateado. O presente estaminé serve para falar de tudo e de mais alguma coisa. Insultos positivos são bem-vindos. E, desde já, obrigado pela visita e volte sempre!

Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Armazém

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D