Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




ALERTA DE SPOILER! Este post contém informações relevantes, pelo que é aconselhável que só leiam caso estejam a par da exibição norte-americana.

 


Entourage - temporada 8

Esta já foi a minha comédia preferida. Talvez ainda seja. Mas o sabor deixado por esta temporada final é agridoce – e não afirmo isto com aquele espírito de "contente por que acabou e triste por não haver mais", mas sim pela decepção que foi a mesma comparada com tantos momentos altos proporcionados em oito anos, principalmente nas brilhantes terceira e quinta temporada (esta última comentada neste mesmo espaço há longos três anos). Foi tudo muito apressado, feito em cima do joelho e sem muito nexo. Parecia uma novela em que as coisas importantes levam 50 episódios a acontecer para tudo se resolver nos dois últimos por que, bem, depois não há mais tempo para amarrar tudo. Nem na pachorrenta sexta temporada, quando Vince era um quase secundário na dinâmica do grupo, se viu tal: o desfecho de Entourage desilude não pelo que mostrou, mas sim pelo que não mostrou. Nem a um trecho de Johnny's Bananas, a animação que levaria Drama à glória, tivemos direito. Uma vergonha, de facto.

 

Além de repetir histórias já vistas na série (os negócios de Turtle, as relações desastrosas de Eric), a temporada, composta por oito capítulos, não parece possuir estrutura aparente, apresentando novos arcos narrativos no penúltimo episódio e apenas por que estes têm uma função imediata a desempenhar: falo da gravidez de Sloan que a levará de volta aos braços de Eric e ao estapafúrdio casamento de Vince, decidido em menos de um dia e logo com uma jornalista sofisticada e madura que, horas antes, resistia aos avanços do astro.

 

Se antes tínhamos uma história principal que percorria a temporada e cada uma das personagens circulava em volta dela, agora os argumentistas atiram para todo o lado. Vince chega da reabilitação, tem de mostrar que está saudável, assiste a um suicídio, tem de fazer uma despistagem de drogas à qual (não) reprovará, faz uma introspecção acerca da vida amorosa, atira-se a uma jornalista e faz toda a gente feliz no fim. Turtle volta aos investimentos por conta própria após deixar os negócios da tequila para se dar mal e ser ajudado por Vince, depois de ter recusado veemente a ajuda deste. Eric ressente-se da falta de Sloan, parece ter atritos com Vince que nunca chegam a lado nenhum, envolve-se com a ex-futura-que-voltará-a-ser-futura-sogra, descobre que vai ser pai e tudo acaba bem.

 

Drama e Ari, nas histórias que salvam a temporada do desastre, debatem-se com problemas distintos: o meio-irmão de Vince vê a carreira por um fio quando Dice, o co-protagonista da série animada, boicota a produção e o agente vê-se mergulhado num divórcio que o levará a ter um caso com a ex-arqui-rival Dana apenas para descobrir a falta que sente da família. Tudo bem construído, mas resolvido às três pancadas: basta ver a ridícula cena em que o produtor de Johnny's Bananas ameaça Drama pelo telefone caso não volte ao trabalho e este não lhe assiste para, segundos depois, o primeiro ligar a Dice a informar que as suas exigências tinham sido aceites. Enfim, dão-lhes tanto que fazer para tudo ficar na mesma.

 

Atenção: eu sei que estamos a falar de uma comédia e desenvolvimento de personagens nunca foi o forte de Entourage (nem teve de ser). Só que acabar uma história que sempre mostrou uma garra e uma vitalidade imensas com um amontoado de clichés é lamentável. Aquele grupo de amigos merecia bem melhor, o que talvez possa vir a acontecer na já anunciada longa-metragem e que a cena pós-créditos no último episódio pode desvendar em parte. Apesar dos pesares, aquele grupo de amigos vai deixar saudades ainda que a despedida não tenha sido a ideal.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:20



Banha de Cobra

Alvará

Antero Eduardo Monteiro. 30 anos. Residente em Espinho, Aveiro, Portugal, Europa, Terra, Sistema Solar, Via Láctea. De momento está desempregado, mas já trabalhou como Técnico de Multimédia (seja lá o que isso for...) fazendo uso do grau de licenciado em Novas Tecnologias da Comunicação pela Universidade de Aveiro. Gosta de cinema, séries, comics, dormir, de chatear os outros e de ser pouco chateado. O presente estaminé serve para falar de tudo e de mais alguma coisa. Insultos positivos são bem-vindos. E, desde já, obrigado pela visita e volte sempre!

Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Armazém

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D